Brasil

Defesa do agressor de Bolsonaro é composta pelos advogados do goleiro Bruno

O agressor de Adelio Bispo de Oliveira, possui em sua defesa Zanone Manuel de Oliveira Júnior e Fernando Costa Oliveira Magalhães, ambos advogados atuantes no caso do goleiro Bruno, acusado de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado, contra sua ex-mulher Eliza Samúdio. Além de Zanone, compõem a defesa de Adelio, os advogados Pedro Augusto de Lima […]

Egina Becker Publicado em 09/09/2018, às 08h09

Advogado Zanone Júnior
Advogado Zanone Júnior - Advogado Zanone Júnior

O agressor de Adelio Bispo de Oliveira, possui em sua defesa Zanone Manuel de Oliveira Júnior e Fernando Costa Oliveira Magalhães, ambos advogados atuantes no caso do goleiro Bruno, acusado de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado, contra sua ex-mulher Eliza Samúdio.

Além de Zanone, compõem a defesa de Adelio, os advogados Pedro Augusto de Lima Felipe e Possa e Marcelo Manoel da Costa.

Ao Jornal Nacional, Zanone e Magalhães afirmaram que a contratação da equipe de defesa partiu de um membro da igreja de Adélio, em Montes Claros, sem qualquer tipo de relação ou vínculo com partido político ou figura pública. O nome do contratante não foi revelado.

Nas redes sociais, algumas pessoas começaram a disparar ofensas e suspeitas contra  os advogados, questionando sua contratação e a possibilidade de envolvimento político. A Ordem dos Advogados do Brasil de Barbacena afirmou que os ataques aos profissionais é um atentado contra a democracia.

A entidade emitiu nota de repúdio às publicações feitas contra os advogados, dizendo ser uma tentativa de agredir suas honra e a dignidade. Leia a nota na íntegra:

“A 3a Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, vem a público manifestar seu repúdio em face das ofensas (por meio de vídeos e textos divulgados nas redes sociais e aplicativos de mensagens), dirigidas contra os Advogados e o Escritório de Advocacia que atuam na defesa de Adélio Bispo de Oliveira.

A OAB de Barbacena lembra que a tentativa de macular a honra e a dignidade destes profissionais, além de configurar crime é também um ataque a democracia e a própria OAB.

Destacamos que o caso em tela requer extrema cautela, especialmente pelo momento atual que passa o Brasil e quaisquer atitudes imponderadas em nada ajudarão a tranquilizar o nosso País.Assim, devemos todos agir com a tolerância e a prudência que o referido caso requer.

Lembramos que vivemos em um País democrático onde todos tem direito a um devido processo legal, ao contraditório e ao amplo direito de defesa, através do acompanhamento por um advogado em todas as fases de um processo. Inclusive, é a negativa de quaisquer direitos que leva à violência física e/ou verbal, gera intolerância e aproxima nossa civilização da barbárie!!!

Por fim, como os cidadãos do País, a OAB de Barbacena espera que todos os fatos sejam devidamente apurados, que o processo siga regularmente e que os advogados possam exercer livremente a sua profissão, dentro dos limites estabelecidos no Estatuto da Advocacia e no Código de Ética e Disciplina, exercendo assim a atividade indispensável à administração da Justiça no Estado Democrático de Direito Brasileiro conforme o art. 133 da CRFB/88″.

Jornal Midiamax