Brasil

Áreas com vacinação abaixo da meta ou sem recomendação registram casos de febre amarela

Confira as cidades que registraram casos 

Aliny Mary Dias Publicado em 27/01/2018, às 17h15

None

Confira as cidades que registraram casos 

Para a maioria das vacinas, como a febre amarela, a meta indicada para garantir a imunização da população numa área considerada de risco e evitar a disseminação do vírus é de 95% de cobertura. O dado é do Ministério da Saúde.

Isso significa que, mesmo com as doses de vacinas chegando aos municípios, para garantir que os casos sejam contidos, 95% da população alvo precisa estar vacinada, ou seja, além de haver a vacina no posto, é preciso fazer com que as pessoas efetivamente se imunizem.

Essa meta ideal não foi atingida, no entanto, em várias das localidades em que há casos de febre amarela em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em Minas Gerais, dos 23 municípios com casos confirmados, 15 estão abaixo da cobertura vacinal de 95%. Alguns municípios que registram casos (confirmado ou sob investigação) têm uma cobertura bem abaixo do esperado: é o caso de Ponte Nova (44,54%), Porto Firme (54,55%) e Santa Luzia (41,93%).

No Rio de Janeiro, que apresentou 15 casos, a maior parte dos casos ocorreu em municípios que não atingiram a meta de cobertura. O município de Valença, que apresentou 9 casos, tem cobertura vacinal de 80% , embora tenha ampliado o período de vacinação para chegar a 100%.

Também o município de Teresópolis, no Rio, com três casos confirmados, está fazendo um esforço para chegar próximo à meta, mas continua abaixo, com 91%. A expectativa é também chegar a 100%.

Já em São Paulo, segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do estado, divulgado em 22 de janeiro, dos 80 casos autóctones ocorridos desde janeiro de 2017, a maioria ocorreu em áreas sem recomendação para a vacina.

Jornal Midiamax