Brasil

Deu ruim: após vídeo de votação com revólver, PF abre investigação em 3 estados

A PF (Polícia Federal) iniciou nesta quarta-feira (10), investigações simultâneas para averiguar e coibir crimes eleitorais nos estados de São Paulo, Paraná e Sergipe. Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nos três estados. As investigações se iniciaram após um eleitor de Cornélio Procópio, no estado do Paraná, divulgar em suas redes sociais um vídeo […]

Egina Becker Publicado em 10/10/2018, às 14h56 - Atualizado às 18h27

None

A PF (Polícia Federal) iniciou nesta quarta-feira (10), investigações simultâneas para averiguar e coibir crimes eleitorais nos estados de São Paulo, Paraná e Sergipe. Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nos três estados.

As investigações se iniciaram após um eleitor de Cornélio Procópio, no estado do Paraná, divulgar em suas redes sociais um vídeo onde aparece votando com uma arma em mãos. O suspeito, que é o alvo principal da polícia, está sendo investigado por porte ilegal de arma de fogo e violação de sigilo do voto.

O Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral participa das ações a fim de investigar e coibir este tipo de crime. O intuito é afastar a possibilidade de que outros casos aconteçam no processo eleitoral de segundo turno.

Abaixo é possível ver o vídeo que circula nos sites, redes sociais e aplicativos de mensagens:

TSE

Segundo informou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por meio do twitter, o registro do voto, seja com fotos ou filmes, enseja multa de até R$ 15 mil ou prisão, dependendo do caso.

“A lei visa preservar o sigilo do voto, e caso esse sigilo seja quebrado, o eleitor pode ser detido por até 2 anos”, advertiu.

Jornal Midiamax