Brasil

Teori morreu de politraumatismo e não afogamento, afirma IML

Lesões múltiplas pelo corpo)

Diego Alves Publicado em 20/01/2017, às 23h50

None
rtemagicc_teori_02.jpg.jpg

Lesões múltiplas pelo corpo)

O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) de Angra dos Reis apontou que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascko, morreu de politraumatismo (lesões múltiplas pelo corpo) e não por afogamento. Ele foi vítima, com outras quatro pessoas, de um acidente de avião que aconteceu na quinta-feira (19), quando a aeronave caiu no mar de Paraty (RJ). 

O corpo do ministro será liberado ainda esta noite do IML, seguindo para a Base Aérea do Galeão e de lá para Base Aérea de Canoas (RS), O corpo será recebido na capital gaúcha na madrugada de sábado (21) pelo filho de Zavascki e pela ministra Cármen Lúcia, presidente do STF. 
Teori será velado no plenário do  Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, a partir das 11h de sábado, e o corpo será sepultado às 18h no Cemitério Jardim da Paz.

Os outros corpos devem ser liberados até sábado. O piloto Osmar Rodrigues será enterrado em Guraraci (PR) e o do empresário Carlos Alberto Figueiras será levado para São Paulo, mas não há definição de locais de velório e de enterro.

A massoterapeuta Maíra Lidiane Panas Helatczuk, e sua mãe, Maria Ilda Panas, serão sepultadas na cidade de Juína, no Mato Grosso, segundo parentes, mas não há data para o fato. 
Acidente

O avião em que Teori viajava era do grupo Emiliano Empreendimentos. De porte pequeno, tinha capacidade para oito pessoas. A aeronave decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, para Paraty, e caiu perto da Ilha Rasa, a 2 km da cabeceira da pista do aeroporto da cidade, às 13h45. Chovia moderadamente no momento da queda.
Testemunhas da queda disseram que não houve explosão. Uma delas afirmou ter visto o avião voando baixo ao fazer uma curva e batendo uma das asas no mar.

Jornal Midiamax