Brasil

PB: ex acusa governador de vazar ‘nudes’ para afastar filho

Ela colocou em seu perfil no Instagram

Diego Alves Publicado em 30/06/2017, às 22h39

None

Ela colocou em seu perfil no Instagram

A apresentadora de TV, ex-modelo e ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório costuma registrar sua intimidade nas redes sociais. Separada de Ricardo Coutinho, o governador da Paraíba (PSB) com quem tem um filho, ela colocou em seu perfil no Instagram até a foto de um boletim de ocorrência lavrado contra o ex.PB: ex acusa governador de vazar 'nudes' para afastar filho

 Na semana passada, mais detalhes da vida privada de Pâmela foram expostos. Fotos em que ela aparece nua (“nudes”) vazaram na internet. Trata-se de um crime grave que, segundo ela, será levado à Polícia Federal. 

Pâmela acusa o ex-marido de estar por trás da divulgação das imagens, de persegui-la para impedir sua aproximação do filho e de agredi-la. Coutinho afirma que as acusações são falsas e moveu mais de dez ações criminais contra ela por calúnia e difamação, a ponto de Pâmela ter sido impedida pela Justiça de citá-lo em novas postagens.

O confronto entre os dois é um escândalo público que se arrasta há anos — e não deve acabar tão cedo. Em 1º de maio, quando fotografou e publicou no Instagram o B.O., ela escreveu uma legenda explicando o motivo de ter ido à delegacia para registrar sua queixa. Dizia que apesar de ter garantia judicial da guarda compartilhada do filho de seis anos, a criança não lhe foi entregue. Por não ter sido a primeira vez que o pai descumpria o acordo da guarda compartilhada, decidiu oficializar a reclamação.
Vida de luxo

Pâmela e Coutinho se conheceram em 2009. Ela, com 25 anos, ex-miss Bahia, era âncora do telejornal de uma emissora local. Ele, prefeito de João Pessoa. Casaram-se em 2011 e tiveram um filho. Quando ele já era governador, em 2013, ISTOÉ revelou gastos exorbitantes na residência oficial.

Os dois levavam uma vida de luxo. Um ano depois, quando ele era candidato à reeleição, um áudio com uma briga do casal foi divulgado e especulações de separação começaram a aparecer. Na campanha, ele apoiava publicamente Dilma Rousseff e ela, Aécio Neves. Pouco tempo depois de eleito, os dois se separaram. Desde então, a história do casal virou o maior bafafá entre a alta sociedade paraibana. As disputas tornaram-se uma queda de braço.

Acusações públicas, litígio e escândalos envolvendo os dois e seus familiares se tornaram cotidianas. Em 2015, Pâmela se envolveu em uma briga com a sobrinha e a irmã do governador. Ela afirma ter sido agredida e até postou fotos das marcas da violência que sofreu, mas a defesa de Coutinho diz que a agressora foi ela. O caso foi parar na delegacia. “A partir do momento em que ocorreu a separação — e aí há uma disputa que corre em segredo de Justiça pela guarda do filho — ela começou a persegui-lo, fazendo postagens em redes sociais, dizendo até que ele foi mandante de um assassinato”, afirma o advogado do governador, Sheyner Asfóra. No Facebook e no Instagram,

Pâmela divulga detalhes de seu cotidiano, de uma foto ao lado do deputado Jair Bolsonaro em visita ao estúdio de televisão em que ela trabalha a selfies em clínicas de tratamentos estéticos. Procurada pela reportagem, a ex-primeira-dama não respondeu até o fechamento desta edição.

Jornal Midiamax