Brasil

Levy Fidelix é condenado em R$ 25 mil por declarações homofóbicas

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo manteve a condenação

Henrique Kawaminami Publicado em 22/02/2017, às 14h43

None
levy.jpg

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo manteve a condenação

Levy Fidelix, presidente do PRTB, terá de pagar uma multa de R$ 25.700 determinada pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo, que manteve a condenação aplicada pela Comissão Especial de Discriminação Homofóbica.

A multa se refere as declarações homofóbicas durante debate de candidatos à Presidência da República nas eleições de 2014.

Na ocasião a candidata Luciana Genro (PSOL) fez uma pergunta a Fidelix sobre suas políticas para a defesa dos direitos da chamada comunidade LGBT, de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais, no caso de ser eleito. Em sua resposta, o candidato do PRTB associou a homossexualidade à pedofilia e a doenças mentais e fez uma espécie de conclamação da maioria para o “enfrentamento” da minoria sexual.

“Aparelho excretor não reproduz”, disse Fidelix. “Como é que pode um pai de família, um avô, ficar aqui escorado porque tem medo de perder voto? Prefiro não ter esses votos, mas ser um pai, um avô que tem vergonha na cara, que instrua seu filho, que instrua seu neto. Vamos acabar com essa historinha. Eu vi agora o santo padre, o papa, expurgar – fez muito bem – do Vaticano um pedófilo.”

Mais à frente, afirmou: “Então, gente, vamos ter coragem. Nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los. Não tenha medo de dizer ‘sou pai, uma mãe, vovô’, e o mais importante é que esses que têm esses problemas realmente sejam atendidos no plano psicológico e afetivo, mas bem longe da gente, bem longe mesmo porque aqui não dá.”

A multa foi estipulada em 1.000 UFESPs. O valor da UFESP para o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2017 é de R$ 25,07.

A denúncia de discriminação homofóbica foi formulada pela Coordenação de Política para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, contra Levy Fidelix, que também responde a processo judicial sobre o episódio.

Jornal Midiamax