Brasil

Incêndio em Cubatão chega ao fim e 218 pessoas voltam para casa

Incêndio aconteceu na tarde da última quinta-feira (5)

Henrique Kawaminami Publicado em 06/01/2017, às 12h19

None
incendio_1_.jpeg

Incêndio aconteceu na tarde da última quinta-feira (5)

O incêndio na unidade dois da Vale Fertilizantes, no Complexo Industrial de Cubatão, na Baixada Santista, foi completamente apagado às 5h de hoje (6), após 15 horas de atuação do Corpo de Bombeiros. Apenas um bombeiro precisou ser socorrido, vítima de intoxicação – ele foi medicado e liberado.

Segundo a capitã do Corpo de Bombeiros, Cintia Nardy, o trabalho foi finalizado na manhã desta sexta-feira (6). "Finalizamos o rescaldo. Inicialmente, atuamos com viaturas da Baixada Santista, mas tivemos viaturas de São Paulo também. Agora, a CETESB fará uma avaliação, a perícia também, mas os bombeiros estão finalizando o trabalho deles", falou.

De acordo com a prefeitura de Cubatão, 218 moradores da Comunidade Mantiqueira, na divisa com Santos pelo lado continental, precisaram deixar suas casas por cautela. Eles foram levados em ônibus da prefeitura para a escola municipal João Ramalho, na Vila Nova. Às 21h30, as famílias foram liberadas e voltaram para casa.

O acesso ao porto de Santos foi fechado às 16h30 de ontem e reaberto por volta das 19h, de acordo com a Marinha. O fechamento temporário não causou prejuízos ao porto, já que esse era o período de intervalo de entrada de navios.

De acordo com bombeiros, o fogo começou na tarde de ontem (5), com a explosão em uma correia transportadora que alimenta o armazém da unidade de nitrato de amônia. O prédio teve evacuação imediata e nenhum funcionário ficou ferido. Um dos tanques da empresa explodiu, provocando um grande vazamento de nitrato de amônia. A fumaça emitida, resultado da queima de nitrato, de cor laranja avermelhada, era tóxica. Ainda segundo os bombeiros, mais de 1 milhão de litros do líquido foi queimado no incêndio.

Drone ajuda trabalho de técnicos

Técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) estiveram no local e, com ajuda de um drone, monitoraram a área. Segundo o órgão, não há maiores riscos, embora o nitrato de amônia possa ter causado irritações nos olhos, na pele e no trato respiratório das pessoas.

Marco Antônio do Vale, coordenador da área de Segurança, Saúde e Meio Ambiente do Sindicato dos Químicos da Baixada Santista, disse ontem à Rádio Nacional, que havia informe preliminar que indicava aquecimento anormal na correia.

A Vale Fertilizantes, por sua vez, informou que a empresa não tinha recebido tal alerta. Segundo a empresa, o controle das operações é rígido e, diante de qualquer risco, as atividades são paralisadas.

Em nota, a Vale Fertilizantes disse que está trabalhando com o Corpo de Bombeiros e autoridades locais e não medirá esforços para minimizar os efeitos do incidente para a população. As causas do incêndio estão sendo apuradas, bem como eventuais danos ambientais.

Jornal Midiamax