Brasil

Cunha acusa ‘homem forte’ do governo Temer de esquema corrupto na Caixa

Moreira Franco teria operado irregularidades na construção de porto

Norberto Liberator Publicado em 19/09/2016, às 14h50

None
cunhadoidao.jpg

Moreira Franco teria operado irregularidades na construção de porto

O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) declarou, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que o secretário do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos), Moreira Franco, estaria por trás de irregularidades na Caixa, envolvendo o financiamento de obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

Moreira é considerado o homem forte do governo Temer, classificado por Cunha como “cérebro” da nova gestão. Segundo o ex-presidente da Câmara, o novo plano de concessões “nasce sob suspeição”. Cunha afirma que “na hora em que as investigações avançarem, vai ficar muito difícil a permanência do Moreira no governo”.

De acordo com ele, Moreira Franco estaria por trás da escolha de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara. “Moreira Franco, que se diz sociólogo, é o cérebro do governo. Foi ele que articulou a candidatura do genro, Rodrigo Maia, para ser presidente da Câmara, atropelando a base aliada”.

Sobre a recente acusação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cunha afirma que “não sabe” se o petista era realmente o líder do esquema de desvios na Petrobras. “Eu não sei se ele é ou não o comandante máximo, mas o que sempre me deixou estarrecido foi quererem me carimbar como se eu fosse o chefe do esquema. Isso é ridículo. Naquele período de 2006, até 2007, eu estava no grupo do vagabundo daquele (Anthony) Garotinho, numa linha contra o Lula”.

Cunha diz ainda que, ao contrário do que Dilma chegou a declarar, ele nunca foi o principal articulador de Temer. “Fica claro hoje que não era. O Moreira Franco era vice-presidente (de Fundos e Loterias) da Caixa, antes do Fábio Cleto, que fez a delação falando de mim. Quem criou o FI-FGTS na Caixa foi o Moreira Franco”.

Segundo ele, as privatizações anunciadas pelo governo podem gerar novos escândalos. “Toda a operação no Porto Maravilha foi montada por ele. No programa de privatização, dos R$ 30 bilhões anunciados, R$ 12 bilhões vêm de onde? Do Fundo de Investimento da Caixa. Ele sabe de onde tirar dinheiro. Esse programa de privatização começa com risco de escândalo. Nasce sob suspeição”, dispara.

O ex-presidente da Câmara acredita que Michel Temer é impopular e que precisa ter “cuidado” com o PSDB. “Dilma precisava recuperar popularidade. Ele precisa ganhar, porque não tem. O Michel tem de tomar cuidado porque, no fundo, o PSDB quer jogar a impopularidade no colo dele para depois nadar de braçada. Mas quem manda no governo é o Moreira Franco”.

Cunha diz que os brasileiros “não se sentem representados” pelo governo Temer, mesmo entre os que apoiaram a saída de Dilma. “Me preocupa um jovem virar para mim na rua, me cumprimentar e dizer: 'Parabéns, a gente queria tirar essa mulher, queria tirar o PT, mas não tem por que entubar esse vice'”, diz o peemedebista.

Sobre o suposto esquema de propina na construção do Porto Maravilha, Cunha declara que “quem comandava e ainda comanda o FI (Fundo de Investimento) chama-se Moreira Franco. E lá tem muitos financiamentos concedidos que foram perdas da Caixa”.

Cunha disse “não ter medo” de ir para a prisão. “Não há provas contra mim. Só se for uma motivação de natureza política. Não se pediu prisão na denúncia apresentada contra o Lula. Por que fariam em relação a mim?”.

Jornal Midiamax