Brasil

Dois anos depois de elogio, Malafaia critica “otários” e sugere: “aqui não é EUA”

Pastor mudou conceito sobre norte-americanos em dois anos

Gerciane Alves Publicado em 27/06/2015, às 19h16

None
malafaia_capinha.jpg

Pastor mudou conceito sobre norte-americanos em dois anos

Dois anos depois de elogiar os Estados Unidos e classificá-los como “maior democracia do mundo” e “baseada em princípios cristãos”, o pastor Silas Malafaia veio a público nesta sexta-feira afirmar que o país vive uma “decadência moral”. As críticas do pastor, líder da igreja evangélica Assembleia de Deus, tiveram como alvo a aprovação, pela Suprema Corte americana, do casamento entre pessoas do mesmo sexo. A decisão, considerada histórica, foi tomada ontem por cinco votos a quatro e vale para todos os 50 Estados americanos.

A legalização do casamento LGBT gerou uma reação de apoio em todo o mundo, de personalidades públicas a engajamento de usuários em redes sociais em prol da campanha.

Em seu perfil no Twitter, Malafaia se mostrou surpreso com a reação da comunidade LGBT no Brasil – onde, aliás, a união civil entre pessoas do mesmo sexo foi aprovada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) já em 2013.

“Porque (sic) os gays no Brasil estão alegres com a aprovação do casamento gay nos EUA? Diferente do Brasil, a constituição americana não prevê casamento entre homem e mulher, por isso, a Suprema Corte teve que decidir. No Brasil, o artigo 226 parágrafo 3º determina o que é família e a permissão para o casamento. Se o ativismo gay quer mudar isso, tem que propor uma PEC no congresso nacional. Aqui ñ é EUA”, escreveu.

Em seguida, Malafaia definiu: “O que aconteceu hoje [ontem] nos EUA, é (sic) mais um capítulo da decadência moral daquela nação”.

O pastor aproveitou o desabafo da noite também para ironizar os críticos. “Os ‘TOLERANTES’ de meia tigela, fiquem livres para xingar, caluniar. Mas, por favor, continuem a me seguir kkkkkk cada um da o que tem kkkk”. Em outro tuíte, admitiu: “Ganhei o dia, vou dormir rindo kkkkkkkkk obrigado intolerantes que dizem ser tolerantes. Um bando de otários me dando publicidade de graça kkk”.

A divergência de opinião de Malafaia entre o que ele havia escrito em 2013 e ontem rendeu uma onda de críticas e ironias de usuários da rede social.

A usuária “‏@noberto_ana”, por exemplo, sugeriu: “Mas paaaastooooor, lá [EUA] não era a maior nação cristã do mundo?? O senhor não amava exaltar aquele lugar?? OQ MUNDOU PASTOR??”. Já a usuária “@bxelly” perguntou: “Ué migo, mudou o discurso?”. O perfil “‏@Mytchell_costa” debochou: “Ele hoje não dorme de ódio kkkkk”, enquanto o perfil “‏@ronaldooricotx” aconselhou: “Tá puto com os EUA? Vai Pra CUBA”.

Além da mudança de discurso, as críticas de Malafaia à decisão da Suprema Corte dos EUA também reverberaram negativamente: “Nunca vi um pastor falar tanto de gays e nada de deus”, escreveu “‏@_fulldoug”. “Cara, para que tá feio. Você tenta passar para os outros seus conhecimentos tanto bíblicos quanto intelectuais, mas existe +um limite pra isso, ok? E você já passou deles. Ninguém quer sua opinião, o mundo já tá cheio de homofóbicos”, pediu “@niallbiscate”. “Você não sabe o que é moral pra poder falar sobre, até porque moral é a ultima coisa que alguém que incita o ódio tem”, reclamou “‏@abovecyrus”.

Malafaia já havia polemizado com a comunidade LGTB, dias atrás, ao propor um boicote à marca de cosméticos “O Boticário”, já que a empresa veiculara uma campanha de Dia dos Namorados com casais homoafetivos e heterossexuais.

Jornal Midiamax