Le Blog Maria Antonia

Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus.

Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus. Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus. O vírus encontrados nos mamíferos são 99% idênticos aos de pacientes com coronavírus. Animal é o mais traficado e vendido ilegalmente na Ásia. Segundo os especialistas, o novo vírus surgiu em um mercado de animais vivos na cidade de […]

Maria Antonia Naegele Publicado em 08/02/2020, às 10h16

Foto : Divulgação
Foto : Divulgação - Foto : Divulgação

Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus. Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus. O vírus encontrados nos mamíferos são 99% idênticos aos de pacientes com coronavírus. Animal é o mais traficado e vendido ilegalmente na Ásia.

Segundo os especialistas, o novo vírus surgiu em um mercado de animais vivos na cidade de Wuhan, no centro da China, no fim do ano passado. A origem seria em morcegos, mas os pesquisadores sugeriram grande possibilidade de haver um “hospedeiro intermediário” na transmissão da doença para as pessoas.

Eles testaram mais de mil amostras de animais selvagens e descobriram que as sequências de genoma dos vírus eram semelhantes nos dois tipos de mamíferos.

pangolim é considerado o animal mais traficado no planeta e está em ameaça de extinção. A carne desses pequenos mamíferos escamosos, comprada no mercado clandestino, é considerada uma iguaria na China e em outras partes do mundo. As escamas, compostas principalmente de queratina, são muito utilizadas na medicina tradicional.

Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus.
Foto : Divulgação
Pangolim é apontado como hospedeiro intermediário do coronavírus.
Foto : Divulgação

Jornal Midiamax