Le Blog Maria Antonia

Laís Souza dá dicas de acessibilidade para cadeirantes

Laís iniciou a carreira como integrante da seleção brasileira de ginástica artística. Ela participou dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 e de Pequim em 2008, por exemplo. Porém, foi em 2014 que tudo mudou. Ela reinventou a carreira e conseguiu uma vaga nas Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em que disputaria […]

Maria Antonia Naegele Publicado em 16/06/2019, às 10h51

Foto:Reprodução/Instagram
Foto:Reprodução/Instagram - Foto:Reprodução/Instagram

Laís iniciou a carreira como integrante da seleção brasileira de ginástica artística. Ela participou dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 e de Pequim em 2008, por exemplo. Porém, foi em 2014 que tudo mudou. Ela reinventou a carreira e conseguiu uma vaga nas Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em que disputaria na categoria de esqui aéreo.

Porém, na véspera da competição, Laís sofreu um acidente que a deixou tetraplégica, enquanto fazia um treino em Salt Lake City, nos Estados Unidos.

Mas a ex-atleta, palestrante é pura inspiração, nunca perdeu a intensidade na maneira como encarar a sua história e como enfrentar os obstáculos do dia a dia, abrindo caminhos para uma vida mais inclusiva.

“Aprendi a deixar meus sonhos serem maiores que meus medos.”

Se você é cadeirante e está planejando férias, vamos as dicas de Laís para rodar por aí com tranquilidade.

Por regra da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), pessoas com deficiência e acompanhantes têm 80% de desconto nas passagens aéreas e auxílio durante embarque, desembarque e voo. No avião, a dica é pegar o assento na primeira fileira, ao lado do corredor.

Laís Souza dá dicas de acessibilidade para cadeirantes
Foto:Reprodução/Instagram

Os lugares mais acessíveis pelos quais já passou:

– Praia da Costa, em Vila Velha, Espírito Santo. A região faz parte do projeto Praia Legal, com calçadão adaptado e cadeiras anfíbias que facilitam o mergulho.

– Nos Estados Unidos, as cidades; Seattle, Park City e Miami são as suas favoritas, por serem os lugares mais acessíveis pelos quais já passou.

Use a tecnologia a seu favor:

Alguns aplicativos ajudam a conhecer novos lugares e evitar imprevistos. O Guia de Rodas, por exemplo, avalia a acessibilidade dos estabelecimentos, facilitando a locomoção de cadeirantes. Há ainda outros apps inclusivos muito legais, como o Hand Talk, que traduz texto e áudio para a Língua de Sinais, e o Be My Eyes, que conecta pessoas com deficiência visual a voluntários próximos.

Exemplo de luta, a ex-ginasta já fica de pé com a ajuda de um aparelho estabilizador, sem precisar do apoio de ninguém.??

Laís Souza dá dicas de acessibilidade para cadeirantes
Foto:Reprodução/Instagram
Jornal Midiamax