Variedades / Veículos

Recall do airbag “fatal” da Takata já afeta 53 milhões de carros

A companhia bateu o recorde de maior recall automotivo da história do país

Clayton Neves Publicado em 21/05/2015, às 18h59

None
senador-americano-bill-nelson-mostra-airbag-defeituoso-desmontado-durante-investigacao-contra-a-takata-1432143307549_615x470.jpg

A companhia bateu o recorde de maior recall automotivo da história do país

A fabricante japonesa Takata anunciou nesta semana, junto com NHTSA (o departamento nacional de trânsito dos Estados Unidos), que está expandindo para 34 milhões o número de veículos americanos envolvidos no chamado para reparo de airbags. A convocação engloba modelos de 11 marcas diferentes.

Com o anúncio, a companhia bateu o recorde de maior recall automotivo da história do país, e elevou para 53 milhões o número de carros afetados desde 2008, quando o problema foi descoberto.

O recall se refere os dispositivos frontais dos lados de motorista e passageiro, que podem estilhaçar ao ser acionados durante um acidente, jogando pedaços cortantes para cima de todos os ocupantes do veículo e gerando riscos de lesões físicas graves ou até fatais. Até o momento, seis mortes foram confirmada em várias partes do mundo por conta da falha.

“Estamos gratos de termos alcançado esse acordo com a NHTSA, que representa um claro caminho à frente”, declarou a Takata em comunicado, sem revelar se outros mercados serão afetados.

Há uma semana, as três principais fabricantes japonesas, Toyota, Honda e Nissan, anunciaram a inclusão de no mínimo mais 6,5 milhões de unidades na lista. No Brasil, a Toyota fez um novo chamado para o mesmo problema, na última segunda-feira (18), válido para 128.615 unidades dos modelos Corolla, Filder, Hilux, SW4 e RAV4.

Jornal Midiamax