Variedades / Turismo

Projeto “Vai Turismo” inicia atividades para impulsionar setor em MS

Foi realizado na última terça-feira (24) o 1º encontro do Grupo de Trabalho do programa Vai Turismo

Nathália Rabelo Publicado em 26/08/2021, às 14h00

Aquário Natural em Bonito
Aquário Natural em Bonito - Foto: Reprodução

Foi realizado na última terça-feira (24) o 1º encontro do Grupo de Trabalho do programa Vai Turismo, de Mato Grosso do Sul, uma iniciativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com entidades representativas dos estados. O encontro foi realizado no formato online e contou com a participação de 35 convidados, de diversos segmentos do turismo do Estado. Em MS, os trabalhos são coordenados pelo Senac MS.

O programa visa contribuir com propostas para impulsionar o setor de turismo regional e nacional, principalmente após o impacto da pandemia da Covid-19. Durante o encontro, os participantes assistiram uma palestra sobre políticas públicas e fizeram reflexões sobre o tema, destacando os aspectos mais importantes. Em grupos, os convidados discutiram sobre quais as prioridades de políticas públicas de turismo para o Estado.

O programa vai construir, de modo colaborativo, documentos que orientem candidatos ao poder executivo e legislativo a respeito das prioridades para o desenvolvimento do turismo sustentável e ações para fazer frente aos desafios, considerando um norteamento estratégico por quatro anos. O próximo encontro será realizado no dia 28 de setembro, com os mesmos participantes, e o tema abordado será "O papel do empresariado na governança".

Sobre o projeto

Apoiado por todo o Sistema Comércio, entidades parceiras e instituições representativas do segmento, o projeto Vai Turismo visa contribuir para o debate público e embasar propostas e estratégias de governo dos candidatos que se apresentarem às eleições estaduais e nacional de 2022.

A ação vai funcionar como uma grande consulta pública, envolvendo diferentes atores do trade, capitaneada pelas Federações do Comércio (Fecomércios), em todos os estados e no Distrito Federal, e pela CNC, por meio do seu Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur/CNC). Ao final, formulará propostas de políticas públicas que serão entregues aos candidatos ao Poder Executivo nas próximas eleições.

Reflexos da pandemia

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o turismo brasileiro já perdeu R$ 355,2 bilhões em receita. Como resultado, o segmento fechou mais de 35 mil estabelecimentos com vínculos empregatícios só em 2020. O saldo negativo corresponde à maior perda anual desde 2016, quando o Brasil ainda sofria os efeitos da recessão, e representa um recuo de 13,9% em relação ao total, em 2019. O turismo brasileiro ainda opera bem abaixo da sua capacidade, com apenas 48% da possibilidade mensal de geração de receitas.

Jornal Midiamax