Variedades / Saúde

Marquinhos diz para gestor da Santa Casa ‘trabalhar ao invés de reclamar’

Hospital fechou ano com déficit de R$ 43 milhões

Celso Bejarano Publicado em 04/04/2017, às 18h05

None
prefeito_marcos_trad.jpg

Hospital fechou ano com déficit de R$ 43 milhões

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, do PSD, disse que os gestores da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), que comandam o Hospital Santa Casa, maior de Mato Grosso do Sul, devem “parar de reclamar e trabalhar mais, pois esta é a função deles”. Hoje, chefia a ABCG o promotor de Justiça aposentado do MPE-MS (Ministério Público Estadual), Esacheu Nascimento  

Marquinhos disse isso, no início da tarde desta terça-feira (4), ao comentar a ida de Esacheu, pela manhã, na Câmara dos Vereadores, onde divulgou um balanço financeiro do hospital, referente ao ano passado. O chefe do hospital disse que a Santa Casa fechou o ano passado com déficit de R$ 43 milhões.

“Dificuldades todos nós temos, os gestores da Santa Casa sabem da realidade. Dizem que não são remunerado, como se isso fosse algo benemérito. É preciso parar de reclamar e trabalhar mais”, cutucou o prefeito.

Marquinhos continuou no ataque: “Não vou ficar reclamando por quatro anos da gestão passada. Vou corrigir os erros e aperfeiçoar os acertos”.

O prefeito contou também que, por mês, a prefeitura destina R$ 20 milhões ao hospital Santa Casa. Daí, ele fez uma comparação: “Com R$ 53 milhões a Cassems construiu e equipou um hospital. Ou seja, com três parcelas repassadas construiríamos um hospital”, disse o prefeito.

Quando a possibilidade de a Câmara Municipal criar uma CPI da Saúde para investigar os recursos repassados à Santa Casa, o prefeito assim respondeu: “não sei o que a CPI pode de benefício para a nossa cidade. A certeza que tenho é que tudo aquilo que devemos repassar estamos repassando”.

Jornal Midiamax