Variedades / Saúde

População e autoridades se preocupam com casos de raiva em MS

Até agora, dez animais já foram diagnosticados com doença

Joaquim Padilha Publicado em 01/04/2016, às 12h11

None
raiva-morcego.jpg

Até agora, dez animais já foram diagnosticados com doença

A Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) já confirmou 10 casos de raiva animal em Mato Grosso do Sul, depois de 456 diagnósticos. O principal animal vetor da doença tem sido o morcego – ao todo, sete animais foram diagnosticados com o vírus da raiva, sendo seis de Campo Grande e um em Corumbá. Outras 139 amostras de sangue ainda serão verificadas.

Em 2015, 1.809 amostras de sangue foram colhidas para diagnóstico da doença, com 93 casos confirmados. 11 desses casos foram em morcegos. O animal passa a raiva aos animais domésticos pela mordida. Desde o começo do ano, 180 morcegos foram colhidos na capital pelos agentes da vigilância sanitária para amostragem.

Agêntes da vigilância sanitária também tem passado nas residências para orientar e vacinar animais domésticos contra a doença, melhor forma de prevenção até agora. Em média, são vacinados 1.072 animais por dia. Quem não receber o atendimento em casa pode levar seu cão ou gato para receber a vacina gratuita no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), que fica na Av. Filinto Muller, 1.601. O CCZ oferece o serviço de segunda a sexta, das 7h às 12h.

Raiva humana: Depois de Mato Grosso do Sul passar 21 anos sem registrar casos da doença em humanos, um homem em Corumbá foi diagnosticado com raiva em 2015, após ser mordido por um cachorro. Ele foi levado ao Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS), onde recebeu um tratamento experimental que gerou bons resultados num caso de 2008, em Pernambuco. O tratamento foi inefetivo e o paciente veio a óbito, depois de um mês internado.

Jornal Midiamax