Variedades / Saúde

Gerenciar o colesterol é fundamental para a prevenção de doenças cardiovasculares

Neste sábado, 8 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Controle do Colesterol

Gerciane Alves Publicado em 07/08/2015, às 17h29

None
coracao.png

Neste sábado, 8 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Controle do Colesterol

Neste sábado, 8 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Controle do Colesterol, data instituída pelo Ministério da Saúde para conscientizar a população acerca da relação do colesterol com as doenças cardiovasculares e outras complicações, como hipertensão, obesidade e diabetes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, com 7,4 milhões de óbitos em 2012, o equivalente a 12,8% do total. 

O colesterol é um lípide (tipo de gordura) presente nas células, fundamental para o bom funcionamento do organismo. A maior parte é sintetizada pelo próprio fígado, e o restante é adquirido através dos alimentos ingeridos. No entanto, ao alcançar taxas elevadas, o colesterol torna-se um fator de risco para o desenvolvimento de doenças do coração. O que aumenta a gravidade dessa situação é o fato de o colesterol alto não apresentar sintomas.

Roberto Calheiros, cardiologista do Hospital Pasteur, localizado no Méier, Zona Norte do Rio, explica que, quando o organismo não consegue eliminar todo o LDL (do inglês low density ou baixa densidade – o mau colesterol) através do fígado e do intestino, este se acumula na corrente sanguínea e se deposita nas artérias, formando placas de gordura – a dislipidemia. Com o tempo, essas placas dificultarão a passagem do sangue, levando ao entupimento dos vasos, processo chamado de aterosclerose. Em estágios mais avançados de entupimento, existe o risco de infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral (AVC). Já o HDL (de high density ou alta densidade – o bom colesterol) capta o excesso de gordura dos tecidos e o devolve ao fígado para ser excretado, contribuindo também para a proteção das artérias contra a formação das placas de gordura. 

“Para baixar os índices de colesterol, as pessoas devem mudar o estilo de vida. Uma dieta saudável, rica em legumes, frutas, carboidratos integrais e sem gordura saturada – queijos amarelos, carne bovina, bacon, manteiga e maionese, por exemplo – faz o nível de LDL baixar significativamente”, aponta o especialista. De maneira geral, os problemas cardiovasculares são assintomáticos e, por isso, a única forma de identificar as taxas de colesterol no organismo é pela sua dosagem sanguínea, feita por meio de exames de análise em laboratório.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, um evento coronariano agudo é a primeira manifestação de doença aterosclerótica em, pelo menos, metade dos indivíduos. “Dessa forma, não se devem esperar os sintomas para iniciar uma investigação e prevenção efetivas”, alerta o cardiologista, acrescentando que a dislipidemia também pode ser evitada com a adoção de hábitos alimentares saudáveis, a prática regular de exercícios físicos e a realização de check-up anual com o cardiologista.

Jornal Midiamax