Variedades

Natal: A data comemorativa preferida dos brasileiros

Ah, o Natal... Época de luz, união e partilha com aqueles que amamos

Produção Publicado em 09/12/2021, às 08h00

None
Foto: megafrases.com.br

Algumas pessoas costumam dizer que Natal é família e Ano Novo, amigos. Bom, apesar dessa divisão soar um pouco exagerada, diríamos até que excludente, de certa forma nela encontramos boa parte da essência do Natal. Tempo de estar com a família e valorizar esse encontro — que se tornou ainda mais precioso com a pandemia, não é?

Sobre a origem da data, devemos retroceder a séculos atrás! Desde a Antiguidade, festividades semelhantes à ideia de Natal já aconteciam em diversas culturas, em especial a romana, sendo a celebração da chegada do solstício de inverno.

Tal tipo de comemoração ganhou mais destaque com a consolidação do Cristianismo, passando a ser uma festividade conhecida como Natale Domini, ou seja, Natal do Senhor.

Muito provavelmente, ainda que você não seja muito religioso, o fato do Natal ser a comemoração do nascimento de Jesus Cristo não lhe deve ser uma informação nova.

A verdade é que embora intimamente ligado à religião, Natal é uma dessas datas que tocam fundo no coração da grande maioria dos brasileiros.

Um estudo do site MegaFrases apontou o Natal como a data mais inspiradora em nosso país. Para chegar a esta conclusão, foram comparados os volumes de buscas no Google relacionados a mensagens em diversas datas comemorativas. As mensagens de Natal tiveram mais do que o dobro das buscas da segunda data com maior apelo, o dia das mães.

Veja abaixo o ranking com os volumes de buscas nas principais datas comemorativas:

1. Natal: 51 milhões

2. Dia das Mães: 25 milhões

3. Ano Novo: 19 milhões

4. Dia dos Namorados: 16 milhões

5. Dia da Mulher: 9 milhões

6. Dia do Amigo: 7 milhões

O que simboliza o Natal para os brasileiros?

A partir do mês de novembro começam a surgir os enfeites, as decorações e os famosos piscas-piscas natalinos nas vitrines principais lojas e shoppings das cidades. É claro que não se pode ignorar o apelo comercial dessas primeiras aparições. Nem o que isso provoca em nós.

Então, vem o susto: a certeza de que o ano passou e o Natal já se aproxima.

E a cada surpresa com uma decoração natalina, aos poucos algo também se acende em nossos corações. É como se voltássemos a ser crianças e a magia do Natal começa a ter seu efeito.

O início da decoração nas lojas nos faz lembrar que é hora de programarmos também a arrumação em nossas casas, pensarmos na ceia e, claro, começarmos os preparativos para aquele lindo Natal em família.

As crianças logo querem escrever a carta ao Papai Noel... Os papais e as mamães já pensam na foto de seus pequenos com o bom velhinho, geralmente em shoppings centers. O próximo passo é pensar na roupa do dia de Natal.

Mas todas essas etapas são pano de fundo para aquilo que realmente importa: confraternizar e agradecer.

É difícil não se emocionar com o Natal. Afinal, além de todos os enfeites, cores e luzes que nos reconectam com nossa infância, é a data do ano em que celebramos o amor, a união e a gratidão por nossos familiares e amigos queridos. Não que os outros 364 dias do ano também não sejam oportunidades de viver tudo isso ao lado de quem se ama. Mas é que Natal é aquela data, sabe?

Ficamos mais emotivos, gratos e felizes por termos nossos entes queridos por perto. É tempo de abraçar forte e de verdade, de mais do que nunca não economizar no “eu te amo”.

É tempo de partilhar afeto e generosidade. E de deixar o coração cheio apenas de bons sentimentos e colocar isso para fora...

E pode até dar trabalho decorar a casa... Preparar a ceia com comidas típicas... Visitar várias casas no mesmo dia para espalhar o amor natalino... Fazer aquela viagem para estar junto daqueles que moram longe... É, tudo isso pode até dar trabalho. Mas vale a pena.

Talvez, valha a pena inclusive discutir se terá ou não uva-passa na comida e ouvir a piada do pavê mais uma vez. Afinal, algumas tradições de Natal não podem desaparecer!

A magia do Natal para as crianças

Além de ainda exercer fascínio nos adultos, não podemos negar que a maior parte da magia desta data está concentrada nas crianças. Seja pelo encanto de fantasiar o bom velhinho com suas renas e duendes ou pela excitação ao receber aquele presente tão desejado, as crianças são com certeza um show a parte no Natal.

Contudo, na hora de presentear os pequenos é importante não descuidar da saúde financeira da família. Dezembro é um mês onde muitos trabalhadores recebem o décimo terceiro salário e existe um risco grande de exagerar nas compras de Natal e iniciar o novo ano com várias dívidas no cartão de crédito.

Para isso, Ricardo Cid, educador financeiro do portal Bons Investimentos, pontua que: “Nem sempre um presente caro será aquele capaz de proporcionar a maior felicidade nas crianças. Quem tem filhos pequenos pode perceber que muitas vezes a diversão fica por conta de brinquedos baratos e até mesmo utensílios domésticos. Ou seja, não tente impressionar as crianças com presentes caros e que muitas vezes serão subutilizados. A dica é respeitar a sua realidade financeira e tentar conversar com as crianças para coletar mais de uma opção de presente. Assim, fica mais fácil acertar na escolha sem comprometer a renda da família.”

É importante lembrar que o principal atrativo do Natal não é o presente. Esta é uma ocasião especial para viver e partilhar o amor com amigos e familiares. É tempo de olhar no fundo dos olhos do outro e reconhecer o quanto vocês são gratos por estarem na mesma família.

Vale a pena abraçar forte e chorar por aqueles que não estão ali, mas que olham pela família de um lugar especial. Vale a pena permitir-se levar pela magia do Natal.

Vale a pena viver todos esses significados do Natal. E todos aqueles sentimentos que não apareceram por aqui, mas que estão no seu coração!

Jornal Midiamax