Variedades

China usa IA para gerenciar maior criação de porcos do mundo

US$ 10 milhões estão sendo investidos em tecnologia

Tatiana Marin Publicado em 17/02/2018, às 16h02

None

US$ 10 milhões estão sendo investidos em tecnologia

Os chineses sempre tiveram uma culinária com muitos pratos feitos a partir de carne de porco. A partir dos anos 80, as fazendas se multiplicaram e agora metade da população mundial vive e morre por lá, cerca de 700 milhões, de acordo com o Synced. E como gerenciar a grande quantidade de criações desses animais, com otimização e controle de qualidade? A resposta da parceria entre Dekon Group, Tequ Group e a gigante tecnológica Alibaba está na inteligência artificial (IA).

A estimativa é de que até 2020 o Tequ Group venda mais de 10 milhões de toneladas, enquanto o Dekon Group espera criar 10 milhões de suínos anualmente. Recentes casos de contaminação alimentar aumentaram a pressão sobre o setor agropecuário na China e o investimento de US$ 10 milhões em tecnologia chega em um momento especialmente delicado para o crescimento desse setor.

Atualmente, cada leitão conta com um código de identificação por radiofrequência, o que é caro e impreciso. Além disso, esse processo é trabalhoso, porque obriga os fazendeiros a incluir dados individuais em relatórios de aplicações móveis ou até mesmo manualmente, da forma tradicional, em tabelas de papel.

Reconhecimento visual é a chave para novas técnicas

A solução encontrada para essa nova fase é o uso do rastreamento visual com ajuda dos computadores, a partir da identificação dos porcos por meio dos números tatuados em seus corpos. Esse sistema será capaz de montar e monitorar perfis com sua raça, idade, peso, condições de alimentação, intensidade e frequência de exercícios e trajetória de movimentos.

China usa IA para gerenciar maior criação de porcos do mundo

Ao combinar as leituras de temperatura dos sensores infravermelhos com os registros dos locais por onde os suínos transitaram durante o dia, a IA pode estimar a quantas anda a qualidade da carne. Com a novidade, é possível também possível encontrar leitões sendo esmagados pelas mães por meio de seus berros, o que pode ajudar a diminuir a perda de animais. É a tecnologia de alto nível chegando ao campo para atender a demanda da indústria.

Jornal Midiamax