Variedades

ONG pede que fãs de ‘Dory’ protejam peixes da espécie de capturas ilegais

Organização prevê aumento da procura devido à estreia de filme

Daiane Libero Publicado em 28/06/2016, às 15h37

None
procurnado-dory.jpg

Organização prevê aumento da procura devido à estreia de filme

A ONG Saving Nemo, da Austrália, lançou uma campanha pela proteção dos peixes da espécie cirurgião-patela, mais conhecida pela personagem “Dory” da animação “Procurando Nemo”. Os ativistas preveem um aumento da captura ilegal do animal devido à estreia da continuação do filme nos cinemas.

De acordo com a ONG, mais de 90% de todas as espécies dos aquários marinhos são retiradas do meio natural – até 30 milhões de peixes são fornecidos a partir de 45 países do mundo e cerca de 65% deles são capturados na Indonésia e nas Filipinas. 

Os Estados Unidos são o maior importador de espécies ornamentais marinhas, representando 80% do mercado, seguido da Europa e do Japão.

O cirugião-patela (Royal Blue Tang, em inglês) não é criado em cativeiro no momento. Por isso, caso seja visto para venda, terá sido capturado da vida marinha, alerta a ONG. Estima-se que 400 mil unidades sejam retiradas do meio natural todos os anos para virar peixes de estimação.

De acordo com o jornal “Vancouver Sun”, as técnicas para captura desses peixes também fazem mal aos recifes. Os exemplares da “Dory” vivem em águas costeiras, perto dos recifes de coral. Podem ser encontrados nas águas de Nova Iorque e no Brasil. A espécie se alimenta de algas, usando dentes afiados para rasgá-las das rochas e corais. A dieta é importante não só para o cirugião-patela, mas também para os recifes, que não são afetados por uma superpopulação de algas.

 Divulgação)

Jornal Midiamax