Variedades

Fanáticos por camionetes, jovens de MS fazem sucesso na internet e transformam marca

Só no Faceboob, eles reuniram mais de 94 mil seguidores

Carol Alencar Publicado em 19/06/2015, às 22h21

None
unnamed_2.jpg

Só no Faceboob, eles reuniram mais de 94 mil seguidores

A paixão por camionetes popularmente conhecidas como “Big Foot” (Pé grande, camionetes altas), levou dois jovens da Capital a criarem a página nas redes sociais, com o nome BF///MS.

O sucesso na mídia é tanto que já são mais de 330 mil seguidores, o maior clube de camionetes do País. O site oficial e um e-commerce foram consequência. Até donos de veículos de menor porte tem aderido à moda.

Criado pelos jovens empresários e também primos, Guilherme Maia e Matheus Palhano, ambos de 20 anos, o BF///MS ultrapassou as fronteiras de Mato Grosso do Sul e já conta com fãs em todo País.

“O BF///MS surgiu em Maio de 2013 como uma página na internet. A intenção era apenas de postar fotos de camionetes de amigos. Em apenas seis meses, muitas curtidas e novos adeptos, até de carros menores e de todo Brasil”, conta Matheus.

Vários encontros já foram promovidos e até etapas de um rally, chamado de “Pantaneiro”. “Hoje o BF///MS conta com uma equipe de mais de 330 mil pessoas, que enviam fotos, acompanham, fazem encontros e constroem entre si, laços de amizade”, ressalta Guilherme.

No Instagram, são mais de 238 mil seguidores, com mais 92 mil no Facebook, o que soma de 330 mil seguidores.

No site, além de notícias, dicas, fotos e sugestões, são comercializados produtos customizados pela marca. “A média mensal é de 1,5 mil produtos vendidos e entregues em todo território nacional. Começou com adesivos, depois passamos aos bonés, camisetas, chaveiros e acessórios”, contabiliza Palhano.

Novidade – Em breve o grupo lançará seu portal de classificados, com a comercialização de veículos da classe e acessórios. Com o novo segmento, os empresários esperam ter o maior portal de vendas de camionetes do País. “A quantidade de seguidores e o trabalho nos fez enxergar a necessidade de um classificado somente de camionetes e utilitários. Além de ser um mercado inexplorado, engloba todo o nosso público, que são pessoas que têm camionetes para comprar e vender, e até quem futuramente pensa em adquirir os veículos anunciados”, ressalta Maia.

Jornal Midiamax