Ponto de referência, relógio está de volta na torre da Igreja Presbiteriana de Dourados

Equipamento foi danificado durante tempestade ocorrida no dia 13 de novembro do ano passado

Marcos Morandi Publicado em 19/04/2021, às 10h28

Equipamento foi recolocado na torre, depois de ser avariado na tempestade
Equipamento foi recolocado na torre, depois de ser avariado na tempestade - Divulgação

Reconhecido como um referencial geográfico e ao mesmo tempo histórico pela população de Dourados, o “Relógio da Igreja” Presbiteriana de Dourados está de volta à sua torre. O equipamento, que foi danificado durante uma forte tempestade ocorrida no dia 13 de novembro de 2020, passou por manutenção e foi reinstalado na última quinta-feira (15).

O relógio, de acordo informações da Igreja Presbiteriana, foi instalado em 7 de novembro de 1963. Quase dez anos depois, em setembro de 1973, o monumento sofreu uma avaria. Na época, em episódio que segue sem esclarecimentos, o relógio foi atingido por tiros e também teve que ser consertado.

Documentos dos arquivos da Igreja Presbiteriana de Dourados, relatam que o relógio da torre foi uma iniciativa da UPH (União Presbiteriana de Homens) que no dia 25 de janeiro de 1962 solicitou ao Conselho a autorização para lançar uma campanha financeira para adquirir a peça. No entanto, na época, por iniciativa do vereador Tércio Torres de Sá, a Câmara Municipal aprovou projeto de Lei que autorizou a Prefeitura a adquirir o relógio para a torre da igreja.

O trabalho de restauração do monumento, foi realizado pela equipe da Relojoaria Ribeiro e foi mantida toda a sua originalidade. A pedido do atual pastor da Igreja, reverendo Ildemar Berbert, o vereador Jucemar Arnal, com ajuda de funcionários da Câmara, encontrou nos anais da Casa, a Lei n.302, de 28 de março de 1962, que autorizou a compra do relógio, no valor de até CR$ 500.00 (quinhentos mil cruzeiros).  

Jornal Midiamax