Com 96% de ocupação das UTIs Covid-19, MS deixa 1º lugar em ranking nacional

Boletim da Fiocruz recomenda ampliação de leitos e manutenção de medidas restritivas

Índice é o menor dos boletins da Fiocruz do último mês
Índice é o menor dos boletins da Fiocruz do último mês - Foto: Reprodução.

Pela primeira vez no último mês, Mato Grosso do Sul deixou a liderança do ranking nacional de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Com a queda de internações, o Estado registrou 96% de lotação nos leitos para Covid-19.

Os dados são do boletim da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), de acordo com as internações de 26 de abril. Assim, o Estado baixou para o segundo lugar do país com maior lotação nas UTIs. Além disto, MS divide a posição com Pernambuco. 

Mesmo com a queda, o Estado ainda é um dos com maiores índices de ocupação. “Embora venha melhorando lentamente, ainda envolve dificuldades de acesso de pacientes de Covid-19 a cuidados complexos necessários, sem os quais a evolução para óbito é muito provável”, afirmou a Fiocruz. 

Então, em paralelo com a vacinação, a Fundação ressaltou que é importante manter outras medidas. Como a “ampliação e a manutenção de medidas de controle da pandemia tais como a restrição à circulação de pessoas, o distanciamento físico, higiene frequente das mãos e uso adequado de máscara”. 

Em 14 de abril, o Estado tinha 100% de ocupação nas UTIs. Já de 21 de março até 3 de abril, MS manteve superlotação de 106% dos leitos. Os números eram os maiores do Brasil.

Jornal Midiamax