Após vídeo viralizar, família procura por ex-enfermeira com esquizofrenia que recusou usar máscara em ônibus

Mulher de 33 anos brigou com passageiros do transporte coletivo em Campo Grande

Gabriel Maymone Publicado em 29/04/2021, às 12h31

Mulher brigou com passageiros ao se recusar a usar máscara em ônibus
Mulher brigou com passageiros ao se recusar a usar máscara em ônibus - Reprodução

Após vídeo com uma mulher de 33 anos se recusando a colocar máscara em ônibus em Campo Grande viralizar, a família dela se manifestou nas redes sociais em busca de informações sobre o paradeiro dela, que é paciente esquizofrênica.

Segundo a irmã da mulher, as crises de esquizofrenia pioraram de 1 ano e meio para cá, após ser demitida do trabalho, onde atuava como enfermeira. "Ela ficou 5 meses internada no Hospital Nosso Lar, mas não aceita tratamento", informa.

Ainda conforme a familiar, a irmã está há cerca de uma semana desaparecida. "Vizinhos viram ela dormindo na rua. Ela anda por toda a região do Piratininga. Já teve gente que a viu no Atacadão da Costa e Silva e até na avenida Guaicurus", disse.

O fator agravante é que a ex-enfermeira não aceita o tratamento. "Ela não está tomando o medicamento, não aceita. Eu sempre vou na casa dela, ou ela vem na minha, mas, ultimamente, percebi uma mudança no comportamento dela", lembra.

Quadro característico de paciente esquizofrênico, a mulher tem bipolaridade e apresenta momentos de agressividade, conforme observado no vídeo que viralizou.

Quem tiver informações sobre o paradeiro da mulher, pode entrar em contato com a irmã pelo 99344-6456 ou pelo 98132-7716.

Caso

A gravação foi realizada por um dos passageiros, no momento em que o vídeo começa a mulher está sem máscara, um dos funcionários chega a dizer: “você está enrolando todo mundo, não é só você”, e recebe como resposta da passageira: “eu não vou ‘botar’ a máscara”.

A passageira ainda diz que os funcionários podem chamar a polícia. Com isso, um dos funcionários vai até o local onde está a passageira e pega uma sacola dela, irritando a mulher que afirma: “se você mexer nas minhas coisas, vou tacar isso aqui na sua cabeça”.

Em todo momento da confusão a mulher está com uma máscara em sua mão, mas se recusa a utiliza o EPI (Equipamento de Proteção Individual). Logo depois a passageira diz: “Vem bater em mim aqui seu desgraçado”, e completa com “chama a polícia lá seu vagabundo”.

O vídeo termina com a mulher utilizando a máscara que estava em suas mãos. De acordo com os passageiros a mulher desceu do veículo momentos depois. “Fiquei indignado, perdi recentemente minha vó e meu tio para a covid, essa doença não é brincadeira”, comentou um dos passageiros ao Jornal Midiamax.

O que diz o decreto?

Conforme o decreto unicipal n. 14.354, de 18 de junho de 2020, pessoas com transtornos não têm obrigatoriedade de usar a máscara. " A obrigatoriedade da utilização de máscaras nos locais determinados no artigo anterior não se aplica para:
I - pessoas com deficiência intelectual ou transtornos psicossociais que não consigam utilizar as máscaras;".

Veja o vídeo:

Jornal Midiamax