Sem Categoria

Com contas atrasadas, confeiteira do São Caetano continua com vaquinha virtual

Confeiteira de Campo Grande pede ajuda da população para continuar vendendo seus doces. Com dificuldade financeira, Gleice Gauna de Paula, que mora no bairro São Caetano, vive com seus três filhos e não está conseguindo pagar as contas, pois a máquina de algodão doce dela quebrou e também não tem dinheiro para comprar os insumos […]

Carolina Rocha Publicado em 16/12/2020, às 14h15 - Atualizado às 14h24

Maçã do amor feita pela Confeiteira.
Maçã do amor feita pela Confeiteira. - Maçã do amor feita pela Confeiteira.

Confeiteira de Campo Grande pede ajuda da população para continuar vendendo seus doces. Com dificuldade financeira, Gleice Gauna de Paula, que mora no bairro São Caetano, vive com seus três filhos e não está conseguindo pagar as contas, pois a máquina de algodão doce dela quebrou e também não tem dinheiro para comprar os insumos necessários.

Em matéria feita pelo Jornal Midiamax em setembro, Gleice tinha o sonho de fazer sua confeitaria móvel e por isso abriu uma vaquinha virtual, para conseguir ter mais lucro e fazer com que as vendas aumentassem. No entanto, as doações não foram suficientes e ela continuou com algumas dificuldades que pioraram depois em razão de divórcio.

Gleice começou a fazer doces há cinco anos para ajudar na renda da família. Foi assistindo vídeos no YouTube que aprendeu algumas receitas, pois não tinha dinheiro suficiente para se profissionalizar. No entanto, a pandemia derrubou as vendas e hoje em dia está morando sozinha com os filhos.

Todos os dias a confeiteira sai nas ruas para vender o que faz: maçã do amor, algodão doce, brigadeiro, beijinho, brigadeiro de paçoca, doce de leite ninho, geladinho gourmet, bolos de porte e bombons.

Mas com algumas contas atrasadas e passando aperto em casa, começou a não ter dinheiro para conseguir comprar os materiais e fazer os doces de costume, a máquina de algodão doce quebrou, fato que complicou ainda mais a situação. Por isso, continua fazendo a vaquinha on-line para que as pessoas possam ajudar como puderem, para que ela consiga voltar a vender os doces.

Com contas atrasadas, confeiteira do São Caetano continua com vaquinha virtual
Doce feito pela confeiteira.

A confeiteira trabalhava fora, mas quando engravidou do terceiro filho resolveu começar a fazer os doces, para conciliar as crianças e trabalho. Agora que separou, a situação está ainda mais complicada, o pai continua ajudando com o que pode, mas ainda estão com algumas contas atrasadas.

Para conseguir manter condições básicas, Gleice faxina a casa da vó e em troca a senhora que já é idosa, ajuda a neta com algum dinheiro, que ela usa para compras coisas para as crianças.

Além da máquina de algodão doce e os materiais para os doces, também aceita ajuda com materiais de construção, pois tem uma casa inacabada e finalizando, poderia parar de morar de favor em uma casa da sua mãe.

Para quem deseja ajudar, com qualquer valor ou, para doar materiais que a confeiteira precisa, pode entrar em contato com (67) 9633-2009 ou direto na vaquinha virtual.

Jornal Midiamax