Sem Categoria

Estado precisa aumentar arrecadação, diz Reinaldo sobre gasto com servidor

MS gastou em 2017 mais da metade da arrecadação líquida com pessoal

Richelieu Pereira Publicado em 06/05/2018, às 13h20 - Atualizado às 14h34

None

Dados disponibilizados recentemente pela Secretaria do Tesouro Nacional, publicados pelo portal G1, apontam que Mato Grosso do Sul está entre os 24 estados do país que gastou em 2017 mais da metade de sua arrecadação líquida com servidores públicos na ativa, aposentados e pensionistas.

Pelos dados divulgados, o Estado gasta 59% da receita líquida com funcionalismo do Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público. Segundo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), isso ocorre porque a arrecadação estadual não acompanhou o aumento de salário dos servidores através dos anos.

“A receita não cresceu e teve os aumentos, principalmente o pacote de bondades que foi dado ao final de 2014, que elevou a dívida com pessoal em praticamente 17%”, justificou Reinaldo durante agenda pública neste domingo (6/5). “O que pode inverter essa curva é o crescimento de receita. Se você crescer as receitas estaduais, você pode ter até uma equação que tire Mato Grosso do Sul do limite prudencial”.

No entanto, segundo os dados do Tesouro Nacional, o Estado estava no seleto grupo de cinco unidades federativas que gatavam menos da metade dos recursos públicos com funcionalismo. Atualmente, apenas Distrito Federal, Goiás e Sergipe desembolsam menos que 50% da receita líquida com servidores.

A receita corrente líquida, considerada para efeitos do cálculo, abate os repasses constitucionais feitos aos municípios e a contribuição dos servidores para o custeio do seu sistema previdenciário.

Outro fator que gera grande impacto são os pagamentos a aposentados e pensionistas, de acordo com Reinaldo.

“Com o crescimento e aumento no número de aposentados, que você tem que repor com concurso ou chamamento, você acaba aumentando a curva. E a receita não crescendo aumenta ainda mais. Aumento de pessoal que teve de 2015 a 2018 foi muito significativo”, explica o governador do Estado.

Despesas com Previdência

O Tesouro Nacional também apresentou um detalhamento das despesas com aposentados, em relação ao gasto total com pessoal dos estados.

De acordo com a instituição, as despesas informadas pelos estados com servidores aposentados variaram de 1% a 62% dos gastos totais com pessoal em 2017.

Em Mato Grosso do Sul, esses gastos representaram 33% das despesas totais com pessoal, enquanto os outros 67% bancam os profissionais em atividade.

Em seis estados, esses gastos representaram 40% ou mais. São eles: Sergipe, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul. Este último tem 62% de suas despesas com pessoal destinada aos servidores aposentados.

Os números mostram que os estados com dificuldades estão entre aqueles que mais gastam com aposentados.

Jornal Midiamax