O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Joaquim Barbosa, confirmou na abertura da sessão plenária desta quinta-feira (29), que vai deixar a mais alta Corte brasileira e se dedicar à vida particular. Barbosa, que tem 59 anos de idade, disse que se sente “honrado em ter feito parte do colegiado” e ter participado do momento mais “fecundo e de maior criatividade”.

Barbosa não deixou claros os motivos pelos quais decidiu se aposentar antes dos 70 anos, idade em que o afastamento é obrigatório. No entanto, ele afirmou que vai abandonar o serviço público, dando a entender que não pretende assumir, pelo menos de imediato, nenhum cargo eletivo.

— Requererei o meu afastamento do serviço público após quase 41 anos. Tive a felicidade, satisfação e alegria de passar a compor essa Corte no seu momento mais fecundo, de maior criatividade e de importância no cenário politico-institucional desse País. Sinto-me, deveras, honrado de ter feito parte desse colegiado e de ter convivido com diversas composições e com a atual composição do Supremo Tribunal Federal. Eu agradeço a todos. Meu muito obrigado.

O ministro comunicou sua decisão à presidente Dilma Rousseff e ao Congresso Nacional na manhã desta qunta-feira, antes de avisar os colegas no Supremo. De acordo com fontes próximas a Barbosa, ele recebeu vários convites para dar aulas em universidades da Europa e dos Estados Unidos e não descarta a possibilidade de morar fora do País.