Sem Categoria

Pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas sobe em julho

A pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas subiu para 95,6% em julho/12, após ter registrado 95,5% no mês anterior (junho/12). Assim, em julho deste ano, a cada 1.000 pagamentos realizados pelas micro e pequenas empresas aos seus credores, 956 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. Na comparação com […]

Arquivo Publicado em 24/08/2012, às 14h24

None

A pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas subiu para 95,6% em julho/12, após ter registrado 95,5% no mês anterior (junho/12). Assim, em julho deste ano, a cada 1.000 pagamentos realizados pelas micro e pequenas empresas aos seus credores, 956 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias.


Na comparação com o mesmo mês do ano passado (julho/12), houve avanço de 0,7 ponto percentual na pontualidade de pagamento das micros e pequenas empresas no país, a oitava alta interanual consecutiva.


De acordo com os economistas da Serasa Experian, as sucessivas reduções das taxas de juros têm reduzido o custo financeiro das micro e pequenas empresas, permitindo-lhes melhorar seus níveis de pontualidade de pagamentos. Como antes de se tornarem inadimplentes, as empresas costumar atrasar pagamentos, a melhora pela oitava vez consecutiva na comparação interanual da pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas sinaliza um cenário mais favorável para a evolução da inadimplência empresarial ao longo deste segundo semestre de 2012.


No mês de julho/12, as micro e pequenas empresas comerciais apresentaram pontualidade de 96,2%. As do setor industrial exibiram pontualidade de 95,0%. As micro e pequenas empresas do setor de serviços registraram pontualidade de pagamento de 94,9%.


Em julho de 2012, o valor médio dos pagamentos pontuais cresceu 2,0% em relação a junho/12, atingindo R$ 1.839. Na comparação com julho/11, o crescimento foi de 7,1%. As empresas de serviços registraram, em julho/12, o maior valor médio dos pagamentos pontuais (R$ 2.111), seguidas pelas empresas comerciais (R$ 1.841) e pelas empresas industriais (R$ 1.619).

Jornal Midiamax