A chapa eleita para a presidência do Sindicato dos Bancários de Campo Grande, em março deste ano, ainda não conseguiu tomar posse.

Isso porque o ex-presidente do sindicato e concorrente nas eleições, José Aparecido Clementino Pereira, alegou que a vitória da chapa de Iaci Azamor Torres foi fraudulenta.

Pereira pediu manutenção da diretoria na administração do sindicato, e o juiz decidiu por fazer uma intervenção. Atualmente Benício Pereira Faustino, José dos Santos Cerqueiro e Rubylan  Lima Oliveira, que fazem parte da comissão eleitoral, representam os bancários. A chapa vencedora é composta por 64 pessoas.

“Com isso, não há mobilidade necessária para o sindicato lutar pela questão salarial, cuja data base é em setembro. Isso está dificultando todo o processo”, diz Iaci. Ela nega que exista irregularidades das eleições.

“A eleição é paritária e tinha representantes das duas chapas nas urnas, advogados, tudo certo. A Federação dos Bancários acompanhou, assim como os fiscais do Ministério Público. Não houve protesto porque ele acreditou que ia ganhar, quando viu que perdeu resolveu recorrer à Justiça”, disse Iaci.

Membros do sindicato denunciam que José Aparecido, candidato que perdeu de ter utilizado o mesmo artifício em 1999, quando não conseguiu assumir a diretoria.

“Agora ele fica protocolando documentos para adiar a decisão judicial e, enquanto isso, bancários sofrem assédio moral e não são defendidos como deveriam no sindicato”, desabafa a candidata eleita e não empossada.