A Justiça bloqueou R$ 103.340.395,51 de réus e empresas implicados na 3ª fase da Operação Tromper, em esquema de corrupção na prefeitura de Sidrolândia, comandado pelo vereador licenciado do PSDB, Claudinho Serra – genro da prefeita Vanda Camilo (PP). Além disso, vários veículos também foram alvo de restrição, ou seja, não podem ser vendidos. Então, o valor de bens bloqueados é bem maior.

No total são 18 pessoas – que já constam como réus – e 9 empresas que tiveram contas e bens sequestrados deferidos pela Justiça.

Apontado nas investigações do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) como o chefe do esquema, Claudinho Serra foi o que teve maior valor bloqueado: R$ 12,5 milhões (como já apontado anteriormente pelo Jornal Midiamax). Em seguida aparece o empresário Carmo Name Júnior, com R$ 12,3 milhões bloqueados.

Confira detalhes:

Claudinho Serra: R$ 12.562.281,18
Veículos Restritos: Jeep Compass, Novo Gol

Carmo Name Júnior: R$ 12.386.831,18
Veículos Restritos: Amarok CD 4×4

Cleiton Nonato Correia: R$ 11.926.719,18
Veículos Restritos: Toyota Hilux, Ford Cargo 712, Honda CG 160 FAN, Honda CG 125, Ford F-350, Iveco 4912 Neobus, VW 8.140

Edmilson Rosa: R$ 11.926.719,18
Toyota Hilux, VW 19.320 CNC, Fiat Uno Mille Economy, Ford Cargo 815 E, Uno Mille Fire Flex

Thiago Rodrigues Alves: R$ 11.807.153,68
Veículos Restritos: Kadett

Valdemir dos Santos Monção: R$ 11.807.153,68
Fernanda Regina Saltareli: R$ 11.807.153,68
Veículos Restritos: Radial RCN 751, Honda NXR160 Bros, duas Toyota Hilux e dois GM Onix

Ueverton da Silva Macedo: R$ 887.735,60
Veículos Restritos: Honda Civic LXC Flex

Ricardo José Rocamora Alves: R$ 887.735,60
Ana Cláudia Alves Flores: R$ 532.735,60
Milton Matheus Paiva Matos: R$ 532.735,60
Veículos Restritos: Toyota Corolla Altis

Roberta de Souza: R$ 532.735,60
Marcus Vinícius Rossettini de Andrade Costa: R$ 423.312,00
Veículos Restritos: Toyota Etios SD XS

Luiz Gustavo Justiniano Marcondes: R$ 532.735,60
Veículos Restritos: Yamaha Neo e Ford F-1000

Maxilaine Dias de Oliveira: R$ 119.565,50
Roger William Thompson Teixeira de Andrade: R$ 119.565,50
Veículos Restritos: Chevrolet Cruze e Yamaha

Rafael Soares Rodrigues: R$ 82.312,50
Heberton Mendonça da Silva: R$ 36.800,00
Veículos Restritos:Fox 1.0

Empresas

AR Pavimentação e Sinalização LTDA: R$ 11.066.695,35
Veículos Restritos: VW 26.260 E

JL Serviços Empresariais e Comércio Alimentício LTDA: R$ 598.762,00
3M Produtos e Serviços LTDA: R$ 532.735,60
Veículos Restritos: GM S10 2.8

Rocamora Serviços de Escritório Administrativo LTDA: R$ 532.735,60
Veículos Restritos: Bueno Camping RC 02

Do Carmo Comércio Varejista e Serviços de Manutenção LTDA: R$ 532.735,60
Marcondes Serviços de Escritório Administrativo e Negócios Empresarial LTDA: R$ 532.735,60
Veículos Restritos: Chevrolet Onix e Hyundai HB20

CGS Construtora e Serviços LTDA: R$ 475.649,40
Veículos Restritos: Toyota Hilux

Maxilaine Dias de Oliveira LTDA: R$ 119.565,50
Heberton Mendonça da Silva: R$ 36.800,00

Vereador do PSDB foi preso após ser apontado como chefe de esquema de corrupção

Claudinho Serra (PSDB) é acusado de ser o mentor do suposto esquema de corrupção que desviava recursos públicos da Prefeitura de Sidrolândia na época em que foi o secretário de Fazenda, Tributação e Gestão Estratégica. Vanda Camilo (PP) é sogra de Serra e prefeita do município. 

Após passar 23 dias na cadeia e sair sob monitoramento de tornozeleira eletrônica e com série de medidas cautelares a serem cumpridas, o vereador apresentou um pedido de afastamento das atividades da Câmara Municipal pelo período de 120 dias para tratar de “interesse particular”, sem remuneração. 

O vereador Claudinho Serra é genro da prefeita de Sidrolândia, Vanda Camilo (PP).

Vereador do PSDB e outros 21 se tornaram réus

O vereador Claudinho Serra (PSDB) e outras 21 pessoas se tornaram réus acusados de comporem esquema de corrupção na Prefeitura de Sidrolândia, após o juiz receber a denúncia apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

“Estão presentes prova da materialidade dos crimes, bem como indícios suficientes da autoria delitiva. A denúncia preenche os requisitos previstos no artigo 41 do Código de Processo Penal, e não se vislumbram, nessa fase, as hipóteses de rejeição previstas no artigo 395 do referido Codex. Assim, recebo a denúncia”, afirmou o magistrado na interlocutória. 

A denúncia oferecida pelo MPMS foi contra os seguintes nomes:

  • Claudio Jordão de Almeida Serra Filho – vereador apontado como líder da organização criminosa
  • Carmo Name Junior – ex-assessor parlamentar de Claudinho Serra
  • Ueverton da Silva Macedo – empresário de Sidrolândia
  • Ricardo José Rocamora Alves – empresário de Sidrolândia
  • Thiago Rodrigues Alves – ex-servidor do Governo do Estado ligado à Agesul e empreiteiras
  • Milton Matheus Paiva Matos – advogado de Sidrolândia
  • Ana Cláudia Alves Flores – ex-pregoeira da Prefeitura de Sidrolândia
  • Marcus Vinícius Rossentini de Andrade Costa – ex-chefe de licitações da Prefeitura de Sidrolândia
  • Luiz Gustavo Justiniano Marcondes – empresário de Sidrolândia
  • Jacqueline Mendonça Leiria – empresária de Sidrolândia
  • Heberton Mendonça da Silva – empresário e ex-assessor parlamentar de Claudinho Serra
  • Roger William Thompson Teixeira de Andrade – empresário de Sidrolândia
  • Valdemir Santos Monção – assessor parlamentar na Alems
  • Cleiton Nonato Correia – empresário dono da GC Obras de Pavimentação
  • Edmilson Rosa – empresário dono da AR Pavimentação
  • Fernanda Regina Saltareli – empresária sócia da CGS Pavimentações e Terraplanagem
  • Maxilaine Dias de Oliveira – empresária da Master Blocos
  • Roberta de Souza – ex-servidora de Sidrolândia
  • Yuri Morais Caetano – ex-estagiário do MPMS em Sidrolândia
  • Rafael Soares Rodrigues – ex-secretário de Educação Sidrolândia
  • Paulo Vitor Famea – ex-secretário-adjunto da Assistência Social de Sidrolândia
  • Saulo Ferreira Jimenes – empresário de Sidrolândia