A professora do curso de Direito da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Luciani Coimbra de Carvalho, é a única advogada de Mato Grosso do Sul que se mantém em lista tríplice para ocupar vaga de desembargador federal no TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região).

Sessão realizada pelo TRF3 nesta quarta-feira (19) excluiu três advogados que desde dezembro do ano passado compunham lista sêxtupla da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para a vaga de Newton de Lucca.

Até então, a lista sêxtupla definida pelo Conselho Federal da OAB para a primeira vaga de Newton Lucca tinha os advogados: Marcos Moreira de Carvalho (27 votos), Luciani Coimbra de Carvalho (27 votos), Verônica Abdalla Sterman (27 votos), Fernando Olavo Saddi Castro (26 votos), Claudia Bossay Assumpção Fassa (26 votos) e Luiz Henrique Volpe Camargo (26 votos).

Após a sessão desta quarta, desta lista, só permaneceram Verônica Abdalla Sterman, Marcos Moreira de Carvalho e Luciani Coimbra de Carvalho, que é de Mato Grosso do Sul.

Como de costume nas indicações para a vaga destinada à advocacia no TRF3, o presidente da República deve seguir a indicação do conselho da OAB para escolher o advogado com mais votos.

A tendência é que Marcos Moreira de Carvalho seja escolhido para a vaga de Newton de Lucca. O advogado atua em São Bernardo do Campo, interior de São Paulo, onde já ocupou cargo de secretário municipal da prefeitura.

Há uma segunda vaga para desembargador federal que será criada no TRF3 com base em uma lei de 2021. Para esta vaga, concorrem os advogados Gabriela Shizue Soares de Araújo, Luiza Nagib e Rita Maria Costa Dias Nolasco. Nenhum deles atua em Mato Grosso do Sul.

Não há data definida para a escolha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).