Escâner por raio-x vai reforçar fiscalização de entrada de objetos em presídios de MS

Equipamento foi doado pelo Governo Federal à Agepen
| 24/01/2022
- 11:42
Escâner é idêntico ao aparelho que aparece nesta foto
Escâner é idêntico ao aparelho que aparece nesta foto, que foi instalado na Máxima, em Campo Grande - Arquivo

O Ministério da Justiça, por meio do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), doou a Mato Grosso do Sul um aparelho de escâner de inspeção por raio-x. O equipamento será usado pela (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), para nas unidades penais.

O extrato de doação foi publicado do Diário Oficial da União desta segunda-feira (24), assinado por Tânia Maria Matos Ferreira Fogaça, diretora-geral do Depen, e Aud de Oliveira Chaves, diretor-presidente da Agepen. O equipamento auxilia na fiscalização dos presídios, pois facilita que os policiais penais encontrem ilícitos em alimentos e objetos que dão entrada nas unidades. 

Segurança 

Para a efetividade das operações nas unidades penais de todo o Estado, a Agepen conta com o sistema de videomonitoramento em pontos estratégicos, contribuindo com o trabalho de vigilância dos servidores e o acompanhamento em tempo real de toda a movimentação dentro da unidade, assim como, nas proximidades, o que tem facilitado a identificação de arremessos externos de materiais proibidos.

Outro aparelhamento importante é a inspeção por meio do escâner corporal, para todos que adentram os estabelecimentos penais; bem como, o detector de metais e o aparelho de raio-x em esteira para vistoria de objetos levados. Além de garantir maior segurança durante as atividades, possibilitam uma inspeção mais minuciosa e precisa de pessoas e materiais.

Em 2020, o Governo do Estado adquiriu por R$ 5.143.930,00 escâneres corporais, usados para revistas individuais. Os equipamentos foram enviados às penitenciárias de Dourados, Naviraí, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã; Instituto Penal e Máxima de Campo Grande.

Este aparelho é capaz de detectar diferentes tipos de objetos, como líquidos, explosivos, drogas, fios metálicos e plásticos, mesmo que introduzido ao corpo.

Veja também

Pró-Cidades destinou mais de R$ 83 milhões para obras no Porto Geral de Corumbá, que terão mais R$ 4,3 milhões do município

Últimas notícias