Política / Transparência

Contrato com empresa que faz cenografia no Aquário do Pantanal é aditivado

Acréscimo no contrato com a empresa Roberto Alves Gallo é de R$ 366 mil

Renata Volpe Publicado em 29/11/2021, às 08h56

Cenografia está sendo feita nos tanques do Aquário do Pantanal.
Cenografia está sendo feita nos tanques do Aquário do Pantanal. - Marcos Ermínio, Jornal Midiamax, Arquivo

Contrato com a empresa Roberto Alves Gallo, que faz os trabalhos de cenografia dos tanques de exposição do Aquário do Pantanal, em Campo Grande, teve reajuste de R$ 366 mil, conforme termo aditivo divulgado nesta segunda-feira (29).

Segundo o termo, foi acrescida ao valor do contrato a importância de R$ 366.940,83, alterando o valor contratual de R$ 4.854.153,38 para R$ 5.221.094,21. Na publicação, não consta o que motivou o aditivo, apenas que a empresa anexou Justificativa Técnica no Processo Administrativo nº 0 57/100.036/2020, devidamente aprovado pela autoridade competente.

Este é o segundo termo aditivo no contrato com a empresa. O primeiro foi a prorrogação do prazo da obra para mais 240 dias, ou seja, contado de 9 de junho deste ano, até 3 de fevereiro de 2022. A empresa venceu a licitação em maio do ano passado, no valor inicial de R$  4.690.365,97. 

Cenografia

Em 2014, o biólogo José Sabino, responsável pela cenografia do Aquário do Pantanal, concedeu uma entrevista ao site Primeira Notícia, da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), contando que cada um dos tanques envolve um tema, e a cenografia foi pensada como se fosse uma viagem pelo Pantanal, começando pelo planalto. “Após essa parte, nós teremos as veredas onde as águas serão filtradas por um sistema, e depois ressurgirão em outro espaço, para representar as águas de Bonito, na sequência elas caminham até o Pantanal elucidando rios com cachoeiras, e assim por diante”.

Jornal Midiamax