Política / Transparência

Sejusp compra mais 38 viaturas novas para PM por R$ 5,2 milhões

Mais 38 viaturas novas da Mitsubishi foram compradas pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para a PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul). Entre terça-feira (21) e esta quarta-feira (22), mais três contratos foram publicados, com valor total de R$ 5.297.300‬,00. Durante este mês, a Sejusp já publicou cinco extratos […]

Renata Volpe Publicado em 22/01/2020, às 09h06

Municípios vão receber viaturas novas da PM. (Nova News, Divulgação)
Municípios vão receber viaturas novas da PM. (Nova News, Divulgação) - Municípios vão receber viaturas novas da PM. (Nova News, Divulgação)

Mais 38 viaturas novas da Mitsubishi foram compradas pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para a PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul). Entre terça-feira (21) e esta quarta-feira (22), mais três contratos foram publicados, com valor total de R$ 5.297.300‬,00.

Durante este mês, a Sejusp já publicou cinco extratos de contratos em Diário Oficial, com a empresa HPE Automotores do Brasil LTDA, de Catalão, Goiás. São 65 novas viaturas para atender o Batatão de Trânsito Rodoviário, PMA (Polícia Militar Ambiental) e as polícias militares do interior do Estado.

O valor mais alto de todos os contratos até agora, é para a compra de 29 caminhonetes novas para a Polícia Militar do interior. Pelo extrato disponibilizado, os veículos serão para os municípios de Três Lagoas, Chapadão do Sul, Costa Rica e Paranaíba. O valor é de R$ 4.057.100,00. 

No extrato publicado nesta quarta-feira (22), a Secretaria compra 8 viaturas novas para atender os municípios de Paranaíba e Sidrolândia. O valor é de R$ 1.119.200,00.

Para a compra de uma caminhonete tipo Pick UP 4×4, descaracterizada para atender a PMA, o valor pago foi de R$ 121.000,00. Para o pagamento deste contrato, a Sejusp vai utilizar recursos de Convênios Federais. 

Todos os extratos foram assinados no dia 6 de dezembro, pelo secretário da Sejusp, Antônio Carlos Videira e o responsável pela empresa, Eduardo Cordeiro de Almeida e Silva.

Jornal Midiamax