Política / Transparência

Obras de recuperação de asfalto em regiões de Campo Grande vão custar R$ 5,8 milhões

Convênio entre Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) e a prefeitura de Campo Grande, para recuperação da malha viária nas regiões urbanas do Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussú, Lagoa, Prosa e Segredo vai custar R$ 5.835.566,99. Dois extratos de termo de convênio foram publicados no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (8). O primeiro estabelece […]

Renata Volpe Publicado em 08/07/2020, às 12h15 - Atualizado em 14/07/2020, às 16h35

Obras de pavimentação. (Divulgação, PMCG, Ilustrativa).
Obras de pavimentação. (Divulgação, PMCG, Ilustrativa). - Obras de pavimentação. (Divulgação, PMCG, Ilustrativa).

Convênio entre Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) e a prefeitura de Campo Grande, para recuperação da malha viária nas regiões urbanas do Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussú, Lagoa, Prosa e Segredo vai custar R$ 5.835.566,99.

Dois extratos de termo de convênio foram publicados no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (8). O primeiro estabelece premissas para a efetivação do repasse de recursos para aporte financeiro para amortização das obrigações financeiras referentes ao Contrato de Repasse da Caixa Econômica.

A recuperação da malha viária será feita nas regiões urbanas do Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussú, Lagoa, Prosa e Segredo, na Capital. 

O valor estimado do convênio será de R$ 3.022.566,99 da Agesul, desembolsado em 6 parcelas. Contudo, a vigência do contrato é 12 meses, a partir de sua assinatura, podendo ser prorrogado.

O outro termo de convênio efetiva o repasse de recursos para amortização parcial das obrigações financeiras referentes à execução de obras para recuperação funcional do asfalto nas regiões urbanas de Campo Grande – lote 01 Anhanduizinho.

Por isso, o valor estimado do presente convênio será de R$ 2.813.000,00 da Agesul, desembolsado em 5 parcelas. A vigência é de 8 meses.

Jornal Midiamax