Política / Transparência

Ministério Público Estadual arquiva 37 investigações, 6 delas sigilosas

A Secretaria do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público Estadual) tornou público o arquivamento de 37 autos – entre inquérito civis e procedimentos preparatórios – 6 deles sigilosos, conforme publicação no DOMP (Diário Oficial do MPMS) desta quinta-feira (27). A maior parte dos inquéritos sigilosos são de Promotorias do Patrimônio Público, que costumam investigar denúncias...

Guilherme Cavalcante Publicado em 27/08/2020, às 09h29 - Atualizado às 10h30

Fachada do Ministério Público Estadual, em Campo Grande | Foto: Arquivo
Fachada do Ministério Público Estadual, em Campo Grande | Foto: Arquivo - Fachada do Ministério Público Estadual, em Campo Grande | Foto: Arquivo

A Secretaria do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público Estadual) tornou público o arquivamento de 37 autos – entre inquérito civis e procedimentos preparatórios – 6 deles sigilosos, conforme publicação no DOMP (Diário Oficial do MPMS) desta quinta-feira (27).

A maior parte dos inquéritos sigilosos são de Promotorias do Patrimônio Público, que costumam investigar denúncias relacionadas a corrupção, dentre outros crimes.

Dentre os arquivamentos, está o inquérito civil que apurou preliminarmente notícia de que bancos, lotéricas e cooperativas de crédito de Naviraí que estariam desrespeitando medidas de controle de biossegurança durante a pandemia.

Há, também, apuração de eventual descumprimento da carga horária pelos servidores públicos lotados na área da saúde no município de Glória de Dourados; denúncias de irregularidades em pagamento de diárias a vereadores de Camapuã; e eventual improbidade administrativa do presidente da Câmara Municipal de Jateí – todos arquivados.

Conforme o aviso publicado pelo MPMS, interessados da existência da promoção de arquivamento dos autos têm prazo de 10 dias para apresentar razões escritas, peças informativas ou documentos que serão juntados aos respectivos autos.

Jornal Midiamax