Política / Transparência

Diárias pagas como complementação salarial em Câmara viram alvo de investigação

O uso de diárias como complementação salarial por cerca de um ano na Câmara Municipal de Cassilândia virou alvo de procedimento preparatório do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), após denúncia. A apuração será feita pela 1ª Promotoria de Justiça do município e foi formalizada em forma de procedimento na edição do Diário […]

Danúbia Burema Publicado em 14/05/2020, às 18h52 - Atualizado às 19h00

(Divulgação)
(Divulgação) - (Divulgação)

O uso de diárias como complementação salarial por cerca de um ano na Câmara Municipal de Cassilândia virou alvo de procedimento preparatório do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), após denúncia.

A apuração será feita pela 1ª Promotoria de Justiça do município e foi formalizada em forma de procedimento na edição do Diário Oficial desta quinta-feira (14). O processo irá apurar o pagamento iniciado no ano de 2019 até fevereiro de 2020.

Conforme os autos, denúncia anônima indicou que dois vereadores estariam recebendo diárias desde abril do ano passado para melhorar suas remunerações. Em alguns meses, o excedente teria superado em até 250% o valor dos salários.

Entre as provas incluídas no processo está o fato de que pagamentos de uma diária e meia seriam feitos em períodos conflitantes, com mesmos horários registrados para retorno das viagens e presença dos beneficiados no prédio da Câmara. A denúncia destacou ainda que em 2019 a Casa gastou R$ 167 mil em diárias, maior valor dos últimos cinco anos.

Os nomes dos vereadores envolvidos serão preservados porque as denúncias ainda estão em fase de apuração, mas permanece aberto o espaço caso a Câmara queira se manifestar. As investigações sobre o caso serão conduzidas pelo promotor de Justiça Pedro de Oliveira Magalhães.

Jornal Midiamax