Política / Transparência

Servidores reclamam do corte de gratificações em prefeitura no interior

Servidores públicos municipais reclamaram de redução nos salários pagos na terça-feira (02) pela prefeitura de Aral Moreira. Eles alegaram terem sido surpreendidos pela alteração de valores, que em alguns casos chegou a R$ 300. Os trabalhadores denunciaram o caso ao Jornal Midiamax, relatando a perda de valores nos holerites e pagamentos de todo o funcionalismo. Em […]

Danúbia Burema Publicado em 03/07/2019, às 17h03 - Atualizado às 19h26

Foto ilustrativa: Marcello Casal Jr | Arquivo Agência Brasil
Foto ilustrativa: Marcello Casal Jr | Arquivo Agência Brasil - Foto ilustrativa: Marcello Casal Jr | Arquivo Agência Brasil

Servidores públicos municipais reclamaram de redução nos salários pagos na terça-feira (02) pela prefeitura de Aral Moreira. Eles alegaram terem sido surpreendidos pela alteração de valores, que em alguns casos chegou a R$ 300.

Os trabalhadores denunciaram o caso ao Jornal Midiamax, relatando a perda de valores nos holerites e pagamentos de todo o funcionalismo. Em resposta, a prefeitura informou que houve corte de 30% nas gratificações de todo o quadro, que hoje conta com cerca de 600 servidores.

Segundo informado pelo vice-prefeito Wilson Mordomia (PROS), a medida foi tomada para enquadramento da folha de pagamento, que está atualmente em cerca de R$ 1,2 milhão. “O município está passando por uma crise financeira e a gratificação é opcional. Pra não mandar embora, não dispensar o funcionário, o prefeito optou por tirar 30% da gratificação”, explicou.

De acordo com ele, o assunto foi discutido em reuniões feitas com cada secretaria. Conforme o vice-prefeito, a média salarial dos servidores do município é de R$ 1.900 a pouco mais de R$ 2 mil e a opção por reduzir as gratificações foi a maneira de não ter que dispensar parte do efetivo. Conforme Wilson, a redução nas gratificações foi feita a todos indistintamente. No quadro de 600 servidores, cerca de 200 são comissionados.

Jornal Midiamax