Política / Transparência

Ex-secretário de Bonito diz que não houve dano ao erário e acredita em arquivamento

O ex-secretário de Saúde de Bonito, Nivaldo Inácio Carneiro, nega que tenha havido dano ao erário público durante sua gestão à frente da pasta municipal. A situação é alvo de investigação após denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e ele deve ser ouvido sobre a questão no próximo dia 17, quarta-feira. […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 12/09/2019, às 19h29 - Atualizado em 13/09/2019, às 09h02

Nivaldo foi exonerado do cargo de secretário em Bonito em julho deste ano. (Reprodução)
Nivaldo foi exonerado do cargo de secretário em Bonito em julho deste ano. (Reprodução) - Nivaldo foi exonerado do cargo de secretário em Bonito em julho deste ano. (Reprodução)

O ex-secretário de Saúde de Bonito, Nivaldo Inácio Carneiro, nega que tenha havido dano ao erário público durante sua gestão à frente da pasta municipal. A situação é alvo de investigação após denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e ele deve ser ouvido sobre a questão no próximo dia 17, quarta-feira.

Nivaldo foi intimado pela juíza Paulinne Simões de Souza, da 2ª Vara de Bonito, para oitiva em ação civil pública que tramita no setor por dano ao erário. A acusação é de que irregularidades foram constatadas pela junta interventora do Hospital Darci João Bigaton, como compras acima dos preços superiores aos praticados no mercado.

Ele se defende das acusações e ainda opina que, após a audiência, acredita que o caso será arquivado pela Justiça por falta de elementos. “Não houve pagamento, então não houve dano ao erário, tanto que de lá para cá não aconteceu nada, não tenho problema nenhum. Uma credora também abriu mão do que tinha a receber”, explica.

Segundo Nivaldo, a junta interventora fez a denúncia ao MP, abrindo inquérito e posterior entrada de ação na Justiça, para não pagar fornecedores. Ele frisa que ninguém foi pago na época – os fatos se referem a novembro de 2011 -, nem mesmo os fornecedores da própria cidade.

“É uma briga política, de 2011, e hoje não é diferente. Preciso lembra também que minha saída da secretaria agora em julho 2019 foi a meu pedido, não foi o prefeito que me mandou embora. Saí por discordar da atual administração do prefeito e do jeito que ele queria que eu conduzisse a secretaria”, dispara Nivaldo.

Jornal Midiamax