Política / Transparência

MPE-MS ajuíza ação para que prefeitura reforme Complexo Ferroviário da Capital

Pedidos têm caráter de urgência devido aos riscos

Egina Becker Publicado em 02/05/2018, às 18h05

None

A 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, na última quinta-feira (26), ajuizou ação civil pública ambiental, com tutela provisória de urgência, contra o município de Campo Grande. O intuito da ação é que o município realize obras de conservação do Complexo Ferroviário, tombado como bem histórico em 2011. O estado precário do local tem chamando atenção do órgão para os danos decorrentes do abandono e da ausência de conservação.

Segundo MPE-MS (Ministério Público Estadual de MS), a ação foi motivada por inquérito civil que investigou a omissão na conservação do ponto. Sobre o Inquérito, a promotora de Justiça Luz Marina Borges Macial Pinieiro afirmou que “…fora instaurado para apurar a ausência de conversação e manutenção da Estação Ferroviária, patrimônio histórico e cultural do Município de Campo Grande-MS, tombado nas esferas federal, estadual e municipal…”

MPE-MS ajuíza ação para que prefeitura reforme Complexo Ferroviário da CapitalO Armazém Cultural, parte integrante do complexo, está interditado desde 2016 por causa dos riscos oferecidos pelas más condições e segurança do local. Para o MP, o caráter de urgência se justifica pelo dano ambiental e cultural que pode não ter reparação ao patrimônio histórico de Campo Grande.

Os pedidos com urgência realizados pelo órgão, visando conservação e manutenção do complexo ferroviário, foram de retelhamento, pintura, correção das infiltrações na Estação Ferroviária, reparação dos telhados e de parte da estrutura da rotunda que cedeu em 2015 com o vendaval ocorrido, entre outras.

Nesta quarta-feira (2), o Juiz Dr. David de Oliveira Gomes Filho mandou intimar o representante judicial de Campo Grande para que se manifeste em até 72 horas.

Jornal Midiamax