Após polêmica, município revoga licitação de jogos educativos de sexualidade

A aquisição seria feita pela Semed
| 24/04/2017
- 16:20
Após polêmica, município revoga licitação de jogos educativos de sexualidade

A aquisição seria feita pela Semed

Iniciada ainda em junho de 2016, a licitação aberta pela Prefeitura de Campo Grande para ‘Aquisição de Jogos Educativos e Lúdicos e Jogos de Sexualidade Humana’ foi revogada nesta segunda-feira (24).

Conforme publicado no Diário Oficial do Estado de hoje, a Prefeitura não detalhou os motivos que levaram à decisão de revogar o certame, que atenderia as necessidades da Semed (Secretaria Municipal de Educação).

No começo do mês de abril, a Prefeitura havia publicado a relação de empresas vencedoras do certame que forneceria o material, avaliado em R$ 80 mil, que incluía ainda jogos de matemática, futebol, meio ambiente, amarelinha, fantoches, jogos educativos sobre a dengue, Jogo de Corpo e Vale Sonhar.

À época da abertura da licitação, ainda na gestão de Alcides Bernal (PP), a Prefeitura informou que os jogos de sexualidade humana não se tratavam de brinquedos para estimular a atividade sexual, e sim para trabalharem na prevenção da iniciação sexual precoce e estimular o combate a DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Mesmo assim, alguns deputados cristãos questionaram a aquisição do material.  Paulo Siufi (PMDB) classificou de ‘aberração’ a compra dos jogos, enquanto Herculano Borges (SD) disse que a medida ‘usurpava’ o direito dos pais de falarem sobre sexualidade com os filhos. Na ocasião, Lídio Lopes (PEN), marido da vice-prefeita Adriane Lopes (PEN) chegou a revelar aos colegas que Marquinhos Trad (PSD) cancelaria a licitação. 

Veja também

Resultado da licitação das estradas vicinais foi publicado nesta quarta-feira (29)

Últimas notícias