Política / Transparência

Governo renomeia servidores que deixaram cargo durante campanha

Relação de nomeado consta no Diário do Estado

Ludyney Moura Publicado em 22/11/2016, às 11h37

None
segov.jpg

Relação de nomeado consta no Diário do Estado

Menos de um mês após o fim do 2º turno das eleições municipais de 2016, o governo estadual divulgou a (re)nomeação de servidores que pediram exoneração justamente durante o período eleitoral. A relação está no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (22).

O ex-secretário adjunto da Semed (Secretaria Municipal de Educação) da gestão de Gilmar Olarte (sem partido), Osvaldo Ramos Miranda, que deixou o governo em 1º setembro, retorna suas atividades na vice-governadora, a contar de 3 de outubro, um dia após o fim do 1º turno.

Flávio Britto, marido da vereadora da Capital Luiza Ribeiro (PPS), e ex-chefe de gabinete do secretário da Casa Civil, Sérgio de Paula, que pediu exoneração em 1º de agosto de 2016, retorna à mesma Casa Civil a contar de 1º de novembro.

O ex-coordenador da Caravana da Saúde e ex-prefeito de Jardim, Marcelo Mello, que deixou o governo em 14 de setembro, também foi nomeado nesta terça-feira para a SES (Secretaria de Estado de Saúde).

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ainda nomeou Bruno Marcelino da Silva na Casa Civil, a contar de  1º de novembro. Ele havia pedido exoneração em 16 de agosto da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), pasta que era comandada até o começo do ano pela vice-governadora Rose Modesto (PSDB).

O Diário Oficial do Estado ainda revogou o decreto que designava o ex-secretário de educação da Capital, também na gestão Olarte, Marcelo Monteiro Salomão, como ordenador de despesas na SED (Secretaria de Estado de Educação). 

Jornal Midiamax