Política / Transparência

Reinaldo Azambuja confirma paralisação da obra do Hospital de Dourados

Paralisação da obra do Hospital de Três Lagoas ainda será estudada, afirma governador

Midiamax Publicado em 05/01/2015, às 21h50

None
imagem_de_destaque.jpg

Paralisação da obra do Hospital de Três Lagoas ainda será estudada, afirma governador

A obra do Hospital de Dourados, município distante 225 quilômetros de Campo Grande (MS), será paralisada temporariamente, de acordo com o governo estadual. Em agenda na manhã desta segunda-feira (5), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que dará prioridade a instituições de saúde já existentes que precisam de mais estrutura, além de concluir as que faltam pouco para terminar.

A paralisação ainda não foi oficializada, uma vez que funcionários e empresa responsável pela obra continuam com os trabalhos, mas confirmada pelo governo estadual na tarde desta segunda-feira (5). A construção do hospital de Dourados foi autorizada em 16 de novembro pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) e a obra iniciada em 18 do mesmo mês.

Assim como no Aquário do Pantanal, a ideia, segundo o governo do Estado, é avaliar a obra, para depois retomá-la. Na construção do Hospital de Dourados, por exemplo, foram empenhados 22 milhões e gastos já R$ 550 mil, segundo o grupo de engenharia responsável pela construção.

A preocupação, diz, é com relação aos funcionários e a obra já iniciada. No entanto, o governo afirma que ela deve ser retomada, após avaliação

Ainda de acordo com o governo estadual, a paralisação temporária de algumas obras segue o estabelecido na primeira reunião de transição, entre atual e antigo governo estadual.

Segundo Azambuja, a prioridade é investir em atendimento, ao invés de obras que podem demorar ‘dois anos para serem concluídas’. A intenção, conforme anunciado na manhã desta segunda-feira, é abrir novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no Hospital Regional, concluir dois hospitais em Dourados, além do Hospital Auxiliadora.. “Neste tem áreas inacabadas e falta pouco para concluir, se eles fizerem um pacto, de imediato dá para oferecer o serviço”, avaliou.

Já com relação à obra do Hospital Regional de Três Lagoas, que foi autorizada em dezembro passado, a possível paralisação ainda será avaliada, uma vez que a instituição terá a função de hospital universitário para atender a demanda da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), do município.

Jornal Midiamax