Política / Transparência

MPE quer suspensão de contrato de alimentação a presos de Ivinhema

Comida fornecida é de “péssima qualidade"    

Evelin Cáceres Publicado em 19/05/2015, às 12h07

None
alimentacao.jpg

Comida fornecida é de “péssima qualidade”

O MPE-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) recomendou a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) que suspenda em até 48 horas o contrato com a empresa Claudio Fridrich-ME, que fornece alimentação aos presos de Ivinhema. A publicação é do diário oficial do órgão desta terça-feira (19).

De acordo com o apurado pelo MPE, a comida fornecida é de “péssima qualidade” e a vigilância sanitária municipal detectou diversas irregularidades no local onde é feita a alimentação dos presos de Ivinhema.

Ao ser notificada, segundo o MPE, a empresa não atende as medidas e muda de endereço com frequência para dificultar o controle do órgão.

Além disso, a empresa faz compras em vários estabelecimentos da cidade, não paga e muda de fornecedor, deixando contas em aberto em padarias e no comércio local.

Segundo o Portal da Transparência do Estado, a empresa tem um contrato de R$ 73.440,00 para fornecer a alimentação em Ivinhema por um período de 12 meses. 

Jornal Midiamax