Política / Transparência

Governo estadual paralisa obras em oito escolas de cinco municípios

Em pelo menos uma delas há reclamações de moradores

Midiamax Publicado em 29/04/2015, às 15h12

None
escola.jpg

Em pelo menos uma delas há reclamações de moradores

O governo de Mato Grosso do Sul decidiu paralisar obras em oito escolas localizadas em Campo Grande, Cassilândia, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo e Corumbá. Os termos de paralisação constam no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (29).

Conforme as publicações, as decisões paralisam para construção de cobertura de quadra poliesportiva. Foram afetados contratos com as empresas Construtora Rial, J Cruz Engenharia, C3 Engenharia e Central Via Sinalização e Serviços.

Nos termos de paralisação não há detalhamento sobre os motivos da paralisação. Consta, apenas, que a decisão atende “conveniência do interesse público”.

As obras paralisadas são nas escolas estaduais João Carlos Flores, Professora Brasilina Ferraz Mantero e Padre Mário Blandino, em Campo Grande; São José, em Cassilândia; Professor Carlos Pereira da Silva e Dr. Miguel Marcondes Armando, em Ponta Porã; Dr. João Ponce de Arruda, em Ribas do Rio Pardo; e Dr. João Leite de Barros, em Corumbá.

Na Brasilina Ferraz Mantero, conforme reportagem do Jornal Midiamax publicada no dia 23 de abril, há reclamações por parte de moradores sobre o abandono do projeto. Segundo eles, a obra inacabada virou ponto de usuário de drogas e até uma espécie de motel improvisado.

Plano de carreira

Também no Diário Oficial do Estado desta quarta está extrato de contrato firmado entre a Secretaria Estadual de Educação e a C.E. Sanches & Cia., no valor de R$ 278 mil. A contratação é para “prestação de serviços de consultoria e assessoria na análise e reestruturação do plano de carreira”.

O extrato informa que o contrato foi assinado no dia 10 de abril. O prazo para execução do serviço, a partir desta data, é de 240 dias – ou oito meses.

Jornal Midiamax