Política / Transparência

Defensoria banca ‘congresso’ em resort de luxo e emenda feriadão em Bonito

Só pelo espaço do evento a Defensoria vai pagar R$ 100,4 mil

Midiamax Publicado em 09/04/2015, às 16h00

None
bonito.jpg

Só pelo espaço do evento a Defensoria vai pagar R$ 100,4 mil

Já programou o que vai fazer no feriadão de Tiradentes (21 de abril), que neste ano cai em uma terça-feira? Pois a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, já. Os membros do órgão foram ‘autorizados’ a aproveitarem a folga prolongada para esticar uns dias a mais em um eco-resort de luxo em Bonito, a 260 quilômetros de Campo Grande.

Oficialmente, o Congresso dos Defensores Públicos de Mato Grosso do Sul será entre os dias 22 e 24 abril. Na prática, o evento na sequência do feriadão de Tiradentes garantirá uma folga extra que poderia chegar aos nove dias: do sábado, dia 18, até o domingo, dia 26.

Para sediar a programação oficial de três dias, o eco-resort em Bonito foi contratado, sem licitação, por R$ 100,4 mil. Segundo informa a assessoria de imprensa da Defensoria, o hotel no paraíso turístico foi escolhido por ser ‘o único a oferecer a estrutura necessária para receber o evento’.

Conforme a Defensoria, a participação no congresso é gratuita, fechada – ou seja, direcionada aos defensores públicos sul-mato-grossenses – e não englobaria a hospedagem. O custo da locação do espaço, completa a fonte, inclui ‘os serviços necessários à realização do evento’.

A ordem interna para que os servidores viagem até Bonito, logo após o feriadão, para trabalhar, está no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (9). Oficialmente, é uma convocação para que os defensores públicos participem de ‘reunião de trabalho’ da Defensoria no dia 22 de abril, das 14 às 17 horas, no eco-resort em Bonito.

Na prática, justificaria a ‘esticadinha’. Pela programação oficial, segundo divulgado pela Defensoria, o evento começa na noite de 22 de abril no mesmo local da reunião de trabalho.

E mais: todos os defensores estão autorizados a emendar o feriadão no resto da semana em pleno paraíso do ecoturismo para participarem do evento, conforme manda outra portaria, também publicada na fonte oficial nesta quinta e assinada pelo defensor público-geral do Estado, Paulo André Defante.

Além da contratação do eco-resort, a Defensoria Pública também vai gastar R$ 26,9 mil em serviços gráficos para o congresso – três empresas foram contratadas para tal, incluindo uma fornecedora de brindes que leva ‘chaves e carimbos’ no nome. Não há informações, por exemplo, sobre o quanto será gasto com os palestrantes do evento.

O portal da Defensoria revela que está em andamento, também, licitação na modalidade registro de preços para contratação de coffee-break para a Defensoria Pública. Custo estimado pelo cafezinho, sucos, doces, salgadinhos e biscoitos dos defensores: R$ 253,3 mil. A assessoria do órgão garante que o serviço não será contratado para o congresso. A abertura das propostas está marcada para o dia 13 de abril, próxima segunda-feira.

Questionado oficialmente pela equipe de reportagem sobre a ‘moralidade’ do procedimento, o órgão se limitou a dizer quer foi tudo feito dentro da lei.

Jornal Midiamax