Política / Transparência

Puccinelli diz que empreiteira do Aquário do Pantanal foi trocada, mas Giroto nega

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta terça-feira (15) que a empreiteira Egelte Engenharia não era mais a responsável pela obra do Aquário do Pantanal, por estar descumprindo os prazos. Mas o secretário de Estado de Obras, Edson Giroto, negou. “Nós trocamos porque não cumpria. Agora começo acreditar, mas continuo rezando que conclua […]

Arquivo Publicado em 15/04/2014, às 16h39

None
893014442.jpg

O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou na manhã desta terça-feira (15) que a empreiteira Egelte Engenharia não era mais a responsável pela obra do Aquário do Pantanal, por estar descumprindo os prazos. Mas o secretário de Estado de Obras, Edson Giroto, negou.


“Nós trocamos porque não cumpria. Agora começo acreditar, mas continuo rezando que conclua até dia 11 (de outubro)”, afirmou o governador depois de visitar a obra no último sábado (12). Puccinelli disse que vai contratar mais funcionários para a obra. Hoje tem 300 funcionários.


Por outro lado, o secretário de Obras negou que tenha havido mudança de empreiteira para a conclusão da construção do Aquário. “O André não conhece de licitação, não conhece contrato. Ele é muito bom para política, por isso ele é um grande médico. Como sou engenheiro razoável. Não mudou nada, a empreiteira contratada é a Egelte”, garantiu Giroto.


Segundo o governador o motivo da troca de empresa era o atraso em relação aos prazos. “O motivo que nos levou a tirar o camarada que levou um ano e tanto é que o camarada não cumpria o programa físico“, explicou Puccinelli.


No entanto, Giroto afirmou que no cronograma há o aperto e punição contratual em caso de descumprimento de prazos. “Cronograma é uma coisa que existe dentro da secretaria um aperto e uma punição contratual para que cumpra o cronograma que pode ser flexibilizado por imprevistos que a obra apresenta”, pontuou.


Reta final


Depois de concluída a obra, André ressaltou que para entregar o Aquário precisa ter a maioria das espécies que antes passarm por um período de quarentena. “Para inaugurar dia 11 temos que fazer a filtragem dos peixes. Dia 11 não é só entregar as chaves tem que estar os peixes lá e não só três lambarizinhos nadando lá dentro, tem que estar a maioria das espécies porque algumas são de difícil captura”, disse.


Conforme, Puccinelli as espécies aumentaram desde o lançamento do projeto. Quando lançamos o Aquário tinha 263 espécies agora já se conhece 269 espécies, a Embrapa vai ajudar”, finalizou.

Jornal Midiamax