Política / Pimenta

Tem gente de MS comemorando muito os jabutis na MP da Eletrobras

Medidas 'plantadas' na Medida Provisória devem encarecer conta de luz, mas engordar lucros e verbas

Da Redação Publicado em 21/06/2021, às 08h30

Jabutis plantados na MP da privatização da Eletrobras empolgam em Mato Grosso do Sul
Jabutis plantados na MP da privatização da Eletrobras empolgam em Mato Grosso do Sul - Ilustração sobre Reprodução (Web)

A Medida Provisória que libera a privatização da Petrobras deve ser votada nesta segunda-feira (21) pelos deputados federais e, como está, deixou muita gente empolgada em Mato Grosso do Sul. Alguns dos 'jabutis', como são chamados os trechos plantados pelos parlamentares no texto de uma MP, teriam impacto direto em planos para terras pantaneiras.

Uma das apostas, segundo analistas de mercado, teria a ver com a exigência de contratação de usinas termelétricas a gás natural nos próximos 15 anos. Mais cara e pior para o ambiente, a energia gerada por elas deve deixar as contas de energia salgadas para bancar a ampliação da infraestrutura de gás natural. Pantaneiros e cossacos seriam os maiores interessados.

Além disso, pequenas usinas construídas com dinheiro do Proinfa (Programa de Incentivos às Fontes Alternativas de Energia Elétrica) devem ganhar mais 20 anos de subsídios. Novamente, mais peso nas costas do contribuinte, e mais verbas bancando estruturas organizacionais regionais que, de acordo com investidores, não sobreviveriam se precisassem garantir lucro.

Por fim, ainda haveria grupos adiantando projetos de olho nos investimentos públicos ligados à hidrovia Tietê-Paraná, que delimita praticamente toda costa leste de Mato Grosso do Sul e também ganhou um jabuti na MP da privatização da Petrobras porque pode 'ajudar no escoamento agrícola'.

Jornal Midiamax