Política / Pimenta

Fio da meada e pontas soltas em investigação devem enrolar mais gente em Mato Grosso do Sul

Caso inacreditável de malandragem pode surpreender com detalhes sórdidos de trapaças internas

Da Redação Publicado em 05/07/2021, às 08h20

De todos os lados, pontas soltas de investigação preocupam implicados em MS
De todos os lados, pontas soltas de investigação preocupam implicados em MS - Ilustração sobre Reprodução (Web)

Investigação que revelou caso inacreditável de malandragem em Mato Grosso do Sul ainda tem pontas soltas que podem implicar mais gente e revelar detalhes surpreendentes. Autoridades que descobriram tudo por coincidência, enquanto achavam que lidavam com caso ordinário de roubo, ainda teriam cartuchos guardados para o caso de virarem alvo dos poderosos expostos.

Em audiência recente, todo enredo foi resgatado depoimento após depoimento, para desespero dos implicados e de quem gostaria de não se envolver com desfecho jurídico que, caso siga a lógica, não deve agradar.

Além disso, o fio da meada na investigação, caso seja puxado devidamente, pode chegar a endereços ainda preservados. Supostamente, as pontas soltas poderiam revelar disputas internas, traições entre 'parceiros inseparáveis' e incrível caso de "ladrão que rouba ladrão que rouba ladrão"...

A descoberta, inclusive, seria explicação para estremecimento que rachou cúpula de grupo, divisão de poder, isolamento e mudança de planos para 2022.

Investigação em Mato Grosso do Sul com enredo de novela

Assim que o enredo de novela foi flagrado e virou investigação, servidores se tornaram alvo de pressão por parte dos chefes desesperados para proteger poderosos. Como foram treinados para lidar justamente com a pressão, no entanto, teriam friamente registrado capítulos vergonhosos de ilicitudes, com tudo devidamente flagrado e documentado.

Agora, espera pelo desfecho lógico adia tomada de medidas em instâncias superiores. Como corregedorias locais já teriam se mostrado altamente comprometidas em fases distintas da investigação, rumo da história pode seguir para fora de Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax