Política / Justiça

Justiça condena homem acusado de estuprar ex em 6 anos no semiaberto

Crimes aconteceram em 2015

Midiamax Publicado em 23/06/2017, às 15h39

None

Crimes aconteceram em 2015

Mais de dois anos depois de ser preso acusado de estuprar a ex-mulher em Glória de Dourados, a 275 quilômetros de Campo Grande, um homem de 27 anos foi condenado a seis anos de prisão em regime semiaberto. O suspeito foi denunciado por abusar da vítima em duas ocasiões, em 2015.

A decisão foi publicada nesta sexta-feira (23) no Diário de Justiça de Mato Grosso de Sul. O suspeito foi condenado pelo artigo 213 do Código Penal: “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

Segundo a denúncia feita pelo MPE (Ministério Público Estadual), no dia 9 de janeiro daquele ano o suspeito, que vai ter o nome preservado para não identificar a vítima, ameaçou a ex-mulher com uma faca e tentou obrigá-la a manter relações sexuais com ele. O crime só não foi consumado, segundo o documento, “por circunstâncias alheias” a vontade do réu.

O crime teria acontecido após uma discussão entre os dois, na época separados a pouco tempo. Com uma faca, o homem obrigou a vítima a tirar a roupa, tomar banho e voltar para o quarto, onde tentou estuprá-la. Na ocasião a mulher conseguiu empurrar o ex e fugir para casa de uma amiga.Justiça condena homem acusado de estuprar ex em 6 anos no semiaberto

No dia 6 de maio o suspeito voltou a agredir, esganar e tentar abusar da ex-mulher. Ele novamente a obrigou tomar banho e a forçou a praticar sexo oral nele.

Em juízo, a vítima desmentiu que na primeira vez foi forçada pelo suspeito, afirmou que no momento que foram para o quarto ele não estava mais armado e que quando percebeu que ela não queria manter relação, desistiu. Já o caso registrado no dia 6 de maio, além de ser forçada, a vítima também sofreu lesões no rosto por conta das agressões.

Por conta disso, o juiz condenou o réu a 6 meses de reclusão no regime semiaberto levando em consideração apenas a segunda denúncia. Pela primeira, o suspeito foi absolvido. 

Jornal Midiamax