Política / Justiça

Divoncir assume TJ-MS e promete fortalecer parceria com outros poderes

Compromisso terá como prioridade 'cuidar das pessoas'

Diego Alves Publicado em 27/01/2017, às 22h31

None
84047494-fd2d-41ea-8f45-9a1b0fd38728_1.jpg

Compromisso terá como prioridade 'cuidar das pessoas'

O desembargador Divoncir Schreiner Maran tomou posse nesta sexta-feira (27) como novo presidente do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para o biênio 2017-2108. Ele deixa a presidência do TRE (Tribunal Regional Eleitoral)  e assume o lugar do desembargador João Maria Lós que saiu do Tribunal para ser o novo vice-presidente e corregedor do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) que será presidida pela desembargadora Tânia Garcia de Freitas nos próximos dois anos. Assumiu a vice-presidência da corte o desembargador Julizar Barbosa Trindade e a corregedoria do tribunal será chefiada pelo desembargador Romero Dias Lopes.

A cerimônia foi prestigiada por autoridades como a governadora em exercício  Rose Modesto (PSDB), prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), deputado estadual Lídio Lopes (PEN) representado a Assembleia Legislativa e o procurador-geral de justiça do MPE (Ministério Público Estadual), Paulo Cezar dos Passos.

Em sua despedida, João Maria Lós, disse ter cumprido suas missões nos dois anos em que esteve a frente da corte e, argumentou que mesmo com a a atual crise financeira, conseguiu reajustar o salário dos servidores e lembrou que uma de suas principais conquistas foi a instalação da Carreta da Justiça em atendimento aos municípios que não possuem fórum. "Aproximamos o Judiciário das pessoas. A Justiça foi a lugares que nunca teve o serviço", disse Lós.

Já na posse do desembargador, Divoncir falou que não é de fazer promessas, mas assume compromisso de "cuidar das pessoas". O magistrado também disse que pretende continuar com a parceria com o MPE e demais poderes durante este biênio 2017-2018. "Os desafios foram feitos para serem vencidos", concluiu. 

QUEM É DIVONCIR

Natural de Dionísio Cerqueira (SC), Divoncir Schreiner Maran formou-se em 1975, pela Faculdade de Direito Santo Ângelo (RS). Passou a integrar a magistratura sul-mato-grossense em 1981, na Comarca de Bonito. Em 1983 foi promovido para a comarca de Ponta Porã e, em 1987, foi promovido para a 2ª Vara Criminal de Campo Grande. A pedido, por remoção, assumiu a 15ª Vara Cível em dezembro de 1988.

Judicou também na 8ª Vara Cível.Foi presidente da Amamsul no biênio 1991/1992 e integrante do TRE/MS no biênio 1995/1996. Em 1999, ocupou o cargo de juiz auxiliar da Corregedoria-Geral de Justiça. Assumiu como desembargador em março de 2000. Exerceu o cargo de Corregedor-Geral de Justiça, no biênio 2007/2008. Preside o TRE/MS, na gestão 2015/2016.

VICE-PRESIDENTE

Julizar Barbosa Trindade é natural de Ouro Branco, na Bahia, e formou-se em Direito na Fundação Educacional Eurípedes Soares da Rocha de Marília (SP). Ingressou na magistratura sul-mato-grossense em fevereiro de 1982, como juiz substituto em Corumbá. Três meses depois, tornou-se juiz de direito em Glória de Dourados. Em 1984, foi promovido para a 2ª Vara da Comarca de Amambai, 2ª entrância.

Em 1985, a pedido, foi removido para a 1ª Vara Cível de Ponta Porã. Em 1988, foi promovido para a Comarca de Campo Grande, Entrância Especial, onde atuou na Vara de Entorpecentes e Delitos de Trânsito com vítimas, na Vara da Fazenda e Registros Públicos, na 3ª Vara Cível Residual e na Vara de Cartas Precatórias Cíveis, onde permaneceu até a promoção ao cargo de desembargador, em fevereiro de 2007. Foi Corregedor-Geral de Justiça no biênio 2015/2016.

CORREGEDOR

Mineiro de Manhuaçu, Romero Osme Dias Lopes ingressou na magistratura de MS em setembro de 1980 em Cassilândia. Em abril de 1983, foi promovido para atuar na 2ª entrância na 2ª Vara Cível em Aquidauana. Em setembro do mesmo ano, a pedido, foi removido para a Comarca de Paranaíba.

Quatro anos depois recebeu outra promoção: desta vez para a entrância especial e atuou na Capital como juiz da Vara de Execução Fiscal. Foi juiz auxiliar da Corregedoria-Geral de Justiça, em 2002 e 2003. Por permuta, foi removido para a 4ª Vara de Família, onde nem chegou a atuar, pois quando estava em transição foi indicado para o Tribunal de Justiça. Tomou posse como desembargador em maio de 2007. (com informações da assessoria de imprensa do TJ-MS).

Jornal Midiamax